Páginas

segunda-feira, agosto 30, 2010

O Ibope e o polvo Paul

fonte:www.universopolitico.com

Por Paulo Márcio



O Ibope já cometeu erros clamorosos em Sergipe. Os mais notórios ocorreram nas eleições de 1994, nos levantamentos realizados tanto para o Governo do Estado quanto para o Senado Federal. Naquele pleito o instituto apontava vitória de Albano Franco no primeiro turno. Abertas as urnas, no entanto, o que se teve foi uma vitória de Jackson Barreto, que empurrou a decisão para a segunda etapa, vencida, agora sim, por Albano. Da mesma forma, o Ibope indicava vitória de José Carlos Teixeira e Lourival Batista para o Senado. Mas foram os candidatos Antônio Carlos Valadares e José Eduardo Dutra os eleitos para a Casa Alta.



Já em 2006, na última pesquisa realizada para o governo do estado, o Ibope dava vitória de Marcelo Déda sobre João Alves Filho por uma margem bastante apertada. O resultado das urnas, por sua vez, viria confirmar o acerto do instituto em Sergipe. Diz-se em Sergipe porque, na vizinha Bahia, o tropeço do IPOBE foi monumental. Lá, a última pesquisa apontava para a possibilidade de vitória de Paulo Souto sobre Jacques Wagner no primeiro turno. E a eleição de fato foi decidida no primeiro turno, mas foi Wagner o escolhido pelos baianos para ocupar o Palácio de Ondina.



Esse triste retrospecto do Ibope em terras de Serigy - estado com apenas 75 municípios - abalou inapelavelmente sua credibilidade entre nós. De sorte que cada nova pesquisa realizada pelo instituto é sempre aguardada com um misto de desconfiança e ansiedade. E quanto a isso nada pode ser feito. Pois, dado seu péssimo histórico, o mais respeitável dos institutos de pesquisa do País só é levado em conta quando seus resultados, no mínimo, guardam semelhança com outros encontrados por institutos locais ou regionais. E isso, convenhamos, nem sempre ocorre.



Talvez seja essa a razão pela qual, a despeito da Pesquisa IBOPE/TV Sergipe divulgada no dia 27/08, colocando Déda 16 pontos à frente de João (48% a 32%), não se detectou até agora nem euforia por parte dos governistas, nem desânimo no lado da oposição - apenas algumas provocações de parte a parte nos miniblogs. O que se verifica é uma grande interrogação no ar. Irmanados na dúvida, dedistas e alvistas estão a se perguntar: será que desta vez o Ibope acertou? Bem, esta só mesmo para o polvo Paul, a Mãe Dinah dos moluscos. O melhor, neste caso, é aguardar outras pesquisas, de preferência realizadas por outros institutos.



O mesmo juízo é válido em relação à corrida para o Senado, na qual Valadares aparece em primeiro lugar com 35%, Albano em segundo com 34%, Eduardo Amorim em terceiro com 25% e Machado em quarto com minguados 7%. Tendo em vista que 54% do eleitorado ainda não escolheu seu candidato ao Senado, pode-se afirmar que todos têm chance de vitória, e quem ora aparece na frente não necessariamente cruzará a linha de chegada na posição em que se encontra







Paulo Márcio é delegado de Polícia Civil, graduado em Direito (UFS), especialista em Gestão Estratégica em Segurança Pública (UFS), especialista em Direito Penal e Direito Processual Penal (Fa-Se) e colunista do Universo Político.com. Contato: paulomarcioramos@oi.com.br

João tenta desqualificar as pesquisas e diz que “o IBOPE em Sergipe dá sempre vitória a quem tem dinheiro”

O ex-governador João Alves Filho (DEM) postou em seu Twitter comentários que tentam desqualificar as mais recentes pesquisas de intenção de voto realizadas em Sergipe, que prevêem a vitória do governador Marcelo Déda (PT) no 1º turno.

Para o ex-governador, as pesquisas não merecem confiança.

Sobre o IBOPE, João Alves faz uma acusação grave, dizendo que o instituto dá sempre vitória a quem tem dinheiro.

Veja o que está postado no Twitter de João Alves Filho:

O resultado do IBOPE confirmou as advertências feitas por vocês aqui no twitter: sua publicação foi adiada para manipulação de dados.

Por estranha coincidência, o IBOPE em Sergipe dá sempre vitória a quem tem dinheiro.

Foi o IBOPE que previu a vitória de Albano contra Jackson por mais de 150 mil votos no 1º turno da eleição. Resultado: Albano perdeu.

ARACAJU

Diferentemente do que mostram as pesquisas...Aracaju está comigo...vamos ganhar essa eleição!

domingo, agosto 29, 2010

UFA! AS PESQUISAS...

Diógenes Brayner

A informação de que a TV-Sergipe anunciaria a pesquisa do Ibope na sexta-feira à noite agitou assessores, aliados, candidatos e eleitores. Foi dia de expectativa e especulações nervosas. Algumas até raivosas. A tentativa era de adivinhar resultados ao se jogar uma série de percentuais para confundir o resultado final. De qualquer forma surpreendeu: 48% para Déda e 32% para João foi excessivo até mesmo para quem está na composição política do governador. A ideia era entre 7 a 10 pontos à frente. Deu 16 e pareceu exagero. Não para o candidato petista que, de Tobias Barreto, onde se encontrava e assistiu a divulgação da avaliação: “a movimentação das ruas dava para avaliar um bom resultado para mim. Sentia isso nas caminhadas e carreatas”, disse ele. Não escondeu que achou “ótimo”, mas recomendou prudência e pediu que “ninguém passe a usar sapatos altos”.

Pesquisa é a fotografia do momento. Não define o resultado de um pleito, que só se dará quando abrir as urnas, na noite de 03 de outubro. Mas, de alguma forma, é um indicativo de como vai a performance dos candidatos, embora a maioria delas ofereça margens para dúvidas. O candidato do DEM a governador, João Alves Filho, estava fazendo campanha no município de Socorro, grande Aracaju. Não se abalou com a notícia. Através de sua assessoria demonstrou pouca importância, ao lembrar que em 1994, numa disputa ao Governo, o Ibope deu como certa a vitória do então senador Albano Franco, diante de Jackson Barreto, com uma diferença de 100 mil votos, já no primeiro turno. Os amigos o fizeram continuar na disputa e ele saiu vitorioso, levando as eleições para o segundo turno. O então governador João Alves Filho revela que teve de arregaçar as mangas e fazer campanha para Albano eleger-se governador.

As pesquisas para consumo interno, mantidas pelos dois lados, dão resultados diferentes. Até mesmo as analisadas pelo governador. A diferença já chegou até a 9%, mas nunca ultrapassou a isso. Mesmo assim não se pode desqualificar os números. Pesquisa eleitoral é sempre posta em dúvida pelo grupo que não se sai bem, mas nunca discutida. Aliados de João Alves Filho fazem uma avaliação diferente das ruas e muita gente que está na coligação liderada por Marcelo Déda, também revelava uma tendência diferente do eleitorado com o qual convive. E é assim, porque não dá para contestar, embora se possa imaginar que a proporcionalidade eleitoral dos municípios não foi calculada de forma correta. Leve-se também em consideração o efeito Dilma, que está nas alturas, contra um Serra que despencou. Isso influenciou...

Evidente que uma diferença de 16 ponto dá um certo conforto. Mas não pode se acomodar e começar a achar que é só correr para o abraço. Não é assim. João Alves Filho é uma liderança forte e destemida. Não recua em nenhum momento e tem um histórico de reação quando está se sentindo acuado. Se a campanha estava morna, podem ter certeza que vai esquentar: João em busca de derrubar a diferença e Déda na luta para mantê-la. Percebam que os próximos programas eleitorais terão outra dinâmica, em razão desses números que passam a ouriçar os candidatos que polarizam. Tem um fato novo que pode acontecer até 10 de setembro – ou antes – que por questão de ética não posse revelar. Até porque ainda não é certo e as coisas estão em fase de conversas. Mas se acontecer é provável que se comemore um momento diferente do que se vive hoje. A política é como um caleidoscópio: a cada mexida cria um quadro diferente em poucos segundos.

Faltam 36 dias para as eleições. Muito tempo ainda. Suficiente para mudar de vez ou liquidar a parada. Já na segunda-feira o Dataform apresenta uma nova pesquisa, que não tem tanta repercussão quanto a do Ibope. De qualquer forma, mantenho que a disputa é acirrada e que a vitória – como já disse – será por um nariz.

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PMDB), candidato a deputado federal, ainda não anunciou os seus candidatos majoritários. Vai fazê-lo dia 02 de setembro em festa no Iate.

Almeida terá apenas um majoritário: José Carlos Machado para senador.

RAZÃO

Almeida Lima se sentiu desprestigiado pelo partido em Sergipe e reclamou isso na direção nacional, que liberou ajuda para sua campanha.

Em razão disso preferiu o silêncio sobre candidato a governador.

NA CÂMARA

Parlamentar liga para avisar que a atuação dos deputados está no site ww.camara.gov.br. Diz que basta acessar para ver a ação de cada um deles.

Há todo o histórico do que fizeram em quatro anos.

EDUARDO

Quem tentar saber a ação do deputado federal Eduardo Amorim (PSC), candidato ao Senado, verá que apesar de médico não apresentou um único projeto para a Saúde.

Sobre drogas, inclusive o crack, não há uma única manifestação em quatro anos.

E AGORA?

A prefeita de Carmópolis, Esmeralda França (PT), decidiu apoiar a candidatura ao Senado de Albano Franco (PSDB), apesar das restrições do seu partido.

A informação é que a Direção do PT vai reagir...

EM DORES

O deputado federal Jackson Barreto (PMDB) candidato a vice de Marcelo Déda, fez uma reunião com lideranças políticas sobre o pleito de outubro.

Saiu muito preocupado com o que ouviu...

SAMARONE

O secretário da Saúde, Antônio Samarone (PDT), já há algum tempo vinha levantando problemas nos postos de saúde, que ainda são muitos.

Certo dia ele foi a um posto às 07 horas, e os chefes chegaram às 11 horas.

DENÚNCIA

Samarone fez uma denuncia grave sobre falsificação de receitas médicas e até venda de medicamentos. Isso deve vir acontecendo há anos...

O erro foi não ter dado nomes, principalmente se tiver envolvido algum candidato.

DIRETÓRIO

Uma fonte bem avisada do PT disse que o Diretório Regional do Partido não teve forças para controlar prefeitos rebeldes. Preferiu evitar uma crise.

Depois das eleições, entretanto, todos serão levados ao Conselho de Ética...

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB), com 35 pontos na pesquisa do Ibope diz que “a melhor pesquisa é aquela que sai do voto na urna.”

“Vamos ter votos para nos reeleger, com fé em Deus”, disse.

MUDANÇA

A previsão é de um empresário envolvido na política: “até o dia 10 de setembro todos vão ver uma adesão que pode abalar Sergipe”.

E classificou: “será uma mudança explosiva”.

RAZÃO

Uma liderança não está se dando bem onde se encontra e começa a tentar uma reviravolta que poderá que poderá surpreender.

As conversas estão adiantadas e prestes a bater o martelo.

JACKSON

O deputado federal Jackson Barreto (PMDB), candidato a vice de Déda, vai reunir internautas na sede do partido terça-feira.

Quer iniciar um movimento pró-reeleição na rede.

PARADA

A Parada Gay, que acontece domingo, terá presença de candidatos. Tanto Déda quanto João Alves agendaram passar pela Atalaia, além de políticos proporcionais.

A luta valeu e a cidadania venceu o preconceito.

UM DETALHE

Há um percentual alto de eleitores que não sabe [ou esqueceu] que este ano deve votar em dois candidatos ao Senado. Surpreende-se quando é lembrado.

Na campanha os candidatos ao Senado não pedem voto para dois.

Notas

Fonte de grande polêmica na internet, os tuítes pagos – mensagens usadas por usuários do Twitter com grande número de seguidores para promover serviços ou produtos em troca de dinheiro – chegam ao universo das Eleições 2010. De acordo com a lei eleitoral, é proibido aos candidatos a veiculação de qualquer tipo de propaganda paga na internet.

Mas, não é bem isso que acontece. Apesar de nova – essa é a primeira vez no Brasil em que o Twitter participa com força das eleições –, a prática não é mantida em segredo.

0x0

Para a Advocacia-Geral da União (AGU), os partidos não devem ter tratamento igualitário na divisão de tempo da propaganda eleitoral gratuita em rádio e TV. A manifestação foi enviada para o Supremo Tribunal Federal (STF) e faz parte do processo aberto pelo Partido Humanista Solidário (PHS) na Corte sobre o assunto em junho.

Na ação, o PHS questiona artigos da Lei das Eleições, que distribui o tempo do horário eleitoral de acordo com o número de parlamentares do partido.

0x0

Em comício na sexta-feira à noite, no Marco Zero, no chamado Recife Antigo, o presidente Lula, ao lado de Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência da República, repetiu o roteiro dos últimos comícios ao pedir votos para ela, citando a prática do preconceito para aproximar sua trajetória à da candidata.

Afirmou ter passado a vida enfrentando preconceitos e que o preconceito contra a mulher no Brasil é muito sério.

0x0

O candidato do PMDB ao governo da Bahia, Geddel Vieira Lima, comunicou ao presidente nacional do partido, Michel Temer, candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff, o assalto sofrido na madrugada de sexta-feira na sede do partido na Bahia.

Homens armados renderam o segurança e levaram equipamentos como computadores e celulares das salas da presidência e das assessorias política e financeira.

0x0

O corregedor-geral da Receita Federal, Antonio Carlos Costa D`ávila, informou há pouco que a Receita identificou o esquema de compra e venda de informações fiscais envolvendo a violação de sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, e outras pessoas ligadas ao comando do partido.

Segundo ele, o esquema envolvia pagamento de propina e encomenda externa: há indícios do funcionamento desse esquema”, disse.

Tuittadas

De Gilbertotv – “São Francisco de Assis nos deixou um exemplo de como não devemos nos apegar as coisas materiais. É difícil, mas é possível. Basta querer”.

De zedutra13 – “Tenho de registrar uma coisa. Estadão fez um editorial hidrófobo contra o PT, mas fez a mais fiel cobertura da minha entrevista”.

De cezar_britto – “É preferível o humor debochado ao elaborado marketing que camufla biografias não reveláveis. Prefiro, em síntese, a liberdade de expressão”.

De millorfernandes – “Pergunta Cretina II: Um dentista, pode ser o pivô de um drama passional?”

De LED_ALMEIDHA – “Quando se é jornalista, qualquer comentário que se faça hoje sobre política é visto como voto declarado. Meu voto é da urna”.

De glauco_vinicius – “O cara não consegue conter o stress da esposa mala, mas quer bater em jornalista, né? Estou solidário à minha amiga Aldaci de Souza”.

De KarinaDrummond – “Sabe não me ligo muito em pesquisas,acho perca de tempo ficar aflito por uma pesquisa”.

De ComsensoWeb – “Diz que uma pessoa foi vista no telhado do vizinho da casa do secretário, mas que não se pode falar em invasão à casa de João Eloy”.

De Ancelmocom – “No mais, é como diz a coleguinha Eliane Cantanhêde: a onda Dilma virou tsunami. Salve-se quem puder...”

brayner@faxaju.com.br http://twitter.com/braynerr

sábado, agosto 28, 2010

IBOPE: Déda 48% x 32% João Alves

Foi divulgada na noite desta sexta-feira, 27, a primeira pesquisa IBOPE de intenção de votos para o Governo do Estado e para o Senado Federal. A pesquisa foi encomendada pela TV Sergipe, e realizada entre os dias 24 e 26 de agosto, quando foram ouvidos 812 eleitores. Os resultados tiveram uma margem de erro de seis pontos percentuais para mais ou para menos.

GOVERNO

Para o Executivo, o governador Marcelo Déda (PT) teve 48% das intenções de votos. Com a margem de erro, o resultado varia entre 45% e 51%. O candidato João Alves Filho (DEM) teve 32% das intenções de voto, com uma variação de 29% a 35% com a margem de erro.

Vera Lúcia (PSTU) teve apenas 1% das intenções de voto. Brancos e nulos tiveram 7%, e o percentual de indecisos chegou a 11%. Chamou a atenção o número de rejeição para os dois candidatos primeiros colocados. Marcelo Déda teve 26% de rejeição, e João Alves Filho, 31%. Os demais candidatos tiveram entre 8% e 12% de rejeição.

SENADO

A pesquisa para o Senado Federal teve o seguinte resultado. O candidato Antônio Carlos Valadares teve 35% das intenções de voto. Albano Franco ficou com 34%, Eduardo Amorim com 25% e José Carlos Machado com 7%.

Votos brancos e nulos tiveram 17% e os indecisos chegaram a 54% das intenções de votos. Na pesquisa, 20% dos eleitores citaram apenas um candidato a senado. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e protocolada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em Brasília.

Leia mais no Twitter de Gilmar Carvalho

sexta-feira, agosto 27, 2010

“Não gosto de ver o sertanejo mendigar”

Jeferson Andrade/Entrevista



A decisão tomada pelo presidente da Assembléia Legislativa, deputado estadual Ulices Andrade (PDT), de integrar o Tribunal de Contas como conselheiro, abriu espaço para um sucessor na própria família. O grupo que apóia Ulices Andrade apontou para a direção de Jeferson Andrade na hora de escolher o nome que herdará o espólio eleitoral do presidente da Alese. O jovem de 29 anos que está concluindo o curso de Administração de Empresas planeja lançar seu nome na convenção partidária com um elenco de projetos voltados para o sertão, região onde tem atuação política e onde mora. “Sou um homem do interior. Estudo na capital, mas sempre vivi em Nossa Senhora de Lourdes”, explica Jeferson, que destaca as ações do governador Marcelo Déda em favor do sertão sergipano. Ele acredita que pode contribuir para melhorar ainda mais a região. “O sertão e o agreste de Sergipe precisam de programas que estimulem o surgimento de emprego e renda. Não gosto de ver o sertanejo mendigar”.

- Você se tornou um dos mais fortes candidatos do PDT a uma vaga na Assembleia. Como surgiu esse projeto político?
JEFERSON ANDRADE - Na verdade, eu convivo há alguns anos com a política, mesmo sem mandato. Acompanho meu pai (Ulices Andrade) e seu grupo em todas as atividades, especialmente no interior. Com a decisão dele em ingressar no Tribunal de Contas, surgiu a oportunidade. O grupo passou a sondar meu nome para uma vaga na Assembleia Legislativa. Foi uma decisão natural, eu já esperava.

– Quando veio o convite, tomou um susto? Você é um jovem que ainda não foi 'batizado' com outros cargos...
JA – Não, não me assustei com a proposta porque já esperava por esse convite. A política, como eu disse, não é novidade para mim. Sempre acompanhei meu pai e tenho fortes relações com o sertão. Moro em Nossa Senhora de Lourdes. Ando muito na capital, onde tenho amigos, onde concluo o curso superior de Administração de Empresas, mas sempre dei preferência pelo interior.

– O fato de vir de uma família repleta de políticos facilita o seu projeto?
JA – De fato, facilita. Sempre tive influência de políticos importantes, como meu avô e a minha avó, que foram prefeitos de Nossa Senhora de Lourdes. A política sempre me interessou, está no sangue da família. Por exemplo, meu tio Orlando (pai do prefeito de Canindé do São Francisco, Orlando Andrade, o Orlandinho), que foi prefeito de Nossa Senhora de Lourdes e vice-prefeito de Canindé. Tem ainda meu tio Reginaldo, prefeito de Canhoba, outro nome que me influenciou a tomar essa decisão. Muitos membros da família estão na política, tios e primos que foram candidatos a prefeito e a vereador. A minha família sempre teve a vocação para a política. E por fim, meu pai, para mim, um exemplo de político decente, de homem correto.

– O fato de seu pai ter sido eleito deputado cinco vezes consecutivas o torna confiante nessa disputa?
JA – Sim. A maior influência, o maior estímulo, vem dele, um político vitorioso. Sem o apoio de Ulices Andrade e do grupo dele eu jamais tentaria uma vaga na Assembleia. Minha candidatura e meu projeto político só se tornaram possíveis com o apoio do meu pai. Ele é um político muito respeitado em Sergipe, goza de grande prestígio no interior.

– É um nome que abre portas...
JA – Exato. Não tenho problema em afirmar que se trata de um político que o povo respeita e que não engana ninguém. É o exemplo que sigo.

– Tem receio de receber críticas por causa da sucessão familiar?
JA – Não, de forma alguma. Ele vai para o Tribunal de Contas e o meu nome foi cogitado. Foi uma decisão natural. O grupo não pensou em outro nome. Sucedê-lo é uma coisa natural.

– Sua base eleitoral é o sertão. Como pretende ajudar essa região com seu mandato?
JA – O sertão precisa de infra-estrutura. Muita coisa está sendo feita por aqui no governo Marcelo Déda, mas a região tem problemas históricos, que nunca foram atacados. Veja, por exemplo, o problema da segurança. Precisa de mais investimentos do que já foram feitos. O sertanejo precisa de uma política permanente de geração de empregos. Não gosto de ver o sertanejo mendigar. O governo implantou a 'Rota do Sertão', obra fundamental para a economia do lugar, mas precisamos de programas que ajudem o sertanejo a garantir seu sustento sem assistencialismo. O governo Marcelo Déda atende a pleitos bem antigos, mas ainda há muito o que fazer e espero ajudar o governador no seu segundo mandato.

– O governo Déda o agrada? Como você avalia a gestão do petista?
JA – Agrada sim, e agrada aos sertanejos. Déda mudou a cara da política. Seu governo trouxe investimentos importantes nas polícias Civil e Militar, com o ajuste salarial. Garantiu a conquista do piso aos professores. As obras de Déda são importantes, como a construção de pontes em regiões esquecidas por governos anteriores, como a construção de clínicas da Saúde. Mas Sergipe precisa de mais obras de infra-estrutura, precisa de mais quatro anos desse governo para que possamos ver grandes projetos em execução.

TRT obriga sindicato dos jornalistas a conceder carteira de jornalista a Cristiano Batista




Na manhã de hoje, 25, o egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região, através do eminente juiz federal, doutor Ariel Salete de Moraes Junior, da 6ª Vara do Trabalho de Aracaju, determinou ao SINDIJOR – Sindicato dos Jornalistas do Estado de Sergipe que conceda carteira nacional de jornalista ao jornalista Cristiano Batista dos Santos, diretor de web jornalismo do Portal Gazeta de Notícias. A decisão foi em atendimento ao pedido de cumprimento de sentença, protocolado no TRT 20ª Região, na manhã do dia 28 de junho do ano em curso, referente a um Mandado de Segurança, que exige a filiação sindical, bem como, a emissão da carteira nacional de jornalista. O referido Mandado de Segurança impetrado por Cristiano Batista, através da sua assessoria jurídica, que entrou na Justiça do Trabalho para conseguir o direito de ser filiado ao sindicato, foi concedido integralmente em sentença da juíza federal Flávia Moreira Guimarães Pessoa, da 6ª Vara do Trabalho de Aracaju em 28 de agosto de 2008, baseado nos autos da Ação Civil Pública nº 2001.61.00.025.946-3, de 23 de outubro de 2001, onde a magistrada Carla Abrantkoski Rister, juíza substituta da 16ª Vara Cível da Justiça Federal de São Paulo derrubou a obrigatoriedade de graduação em nível superior específica para o exercício da profissão de jornalista.

A sentença proferida na lide em tela se deu depois que a meritíssima Flávia Moreira Guimarães Pessoa, junta documentação do requerente comprovando o registro profissional de jornalista, emitido pela SRTE – Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, em 18 de novembro de 2005, fundamenta sua tese no teor do artigo 8º da Constituição Federal, - afirmando que: “... razão assiste ao requerente, uma vez que é direito do integrante da categoria ser representado pelo seu sindicato... Por tais motivos, acolhe-se o pleito autoral”. O julgamento do referido Mandado de Segurança, aconteceu em agosto de 2008, mas somente no mês de abril último, quando compareceu ao sindicato para cumprir os trâmites, foi que Cristiano Batista soube da negativa arbitraria do sindicato na concessão dos seus direitos legais.

Trajetória*

Por Roberto Aguiar

site do bareta

O candidato ao Governo do Estado, pelo Partido Social Democrata Cristão – PSDC, Arivaldo José dos Santos, 66 (sessenta e seis) anos, nasceu no Município de Lagarto, em 25 de março de 1944.

É casado, pai de 5 (cinco) filhos, avô de 3 (três) netos, é Cristão, Pastor Batista – por vocação – com 37 (trinta e sete) anos de exercício pastoral, jubilado.

É administrador público, com especialidade em Economia do Trabalho, por profissão, aposentado pela Universidade Federal de Sergipe, exerce hoje a Presidência da Federação Nacional das Associações dos Servidores Aposentados e pensionistas das Instituições de Ensino (Fenafe), com militância nos Movimentos Sociais, local e nacional.

1- Por que quer ser governador do Estado de Sergipe?

Porque quero contribuir para a construção de uma sociedade verdadeiramente livre, justa e solidária. Em que a pessoa humana é a razão de ser de todo o processo de desenvolvimento econômico, cientifico, político e social. Em que o Estado existe para servir à sociedade e ao cidadão que o financia com os seus tributos e não o cidadão servir ao Estado como é prática atual.

Porque as políticas econômicas dos governos que passaram e do que ai esta governando mantém o Estado como um mero consumidor dos bens consumidos pelos sergipanos. Dados levantados indicam que de tudo quanto consumimos 95% (noventa e cinco por cento), em média, é produzido em outros Estados da Federação e apenas 5% (cinco por cento) produzido em Sergipe. Isto implica em dizer que os empregos dos jovens sergipanos e a renda gerada pelo Estado são exportados promovendo o desenvolvimento econômico e a riqueza dos Estados produtores, condenando Sergipe à eterna pobreza e dependência de quem produz. Isto não pode continuar. Queremos governar Sergipe por acreditar na capacidade dos sergipanos de transformar este Estado um referencia para os demais Estados da Região Nordeste. Por que não?

2- Qual a sua avaliação do atual governo sergipano?

A Gestão Pública do Governo que aí está, virtual, da propaganda oficial, que gastou dos cofres públicos, mais de R$ 35.000.000 (trinta e cinco milhões) de reais, no semestre passado, com mídia, apresenta imagem como se os serviços públicos fossem de primeiro mundo: – saúde – educação- segurança- trabalho – moradia- infra-estrutura – esporte- lazer. Más a realidade do dia a dia vivenciada pelos cidadãos, usuários dos serviços públicos, é outra bem diferente, principalmente, os das camadas mais pobres que vivem abaixo da linha da pobreza: sem trabalho, sem casa, sem terra, sem educação, sem saúde, sem dignidade humana, excluídos dos seus direitos de cidadania.

Este modo de governar Sergipe, estabelecido ao longo da história pelos governos passados, mantido pelo atual, está desaprovado pela sociedade considerando-se o alto índice de rejeição indicado nas pesquisas de opinião pública, tanto do governo passado quanto do governo instalado. O Governo que ai está prometeu mudanças e mudou mesmo a educação básica para pior, conforme índice de desenvolvimento da educação básica- Ideb, oficial, publicado para o conhecimento público. Governo sem educação é governo reprovado.

3- Qual a sua avaliação do governo Lula?

Para se avaliar o Governo Federal, necessário é que se conheçam alguns fatores econômicos, com reflexo no social, na vida do cidadão comum, do brasileiro. Assim transcrevo para informação do leitor, alguns dados publicados pelo http://www.divida-auditoriacidada.org.br “Muitos de nós pensamos que o Brasil já havia pago as dívidas, mas esta não é a nossa realidade! (consulte o site). Em 31/12/2009 a DÍVIDA EXTERNA atingiu a marca de US$ 282 bilhões e a DÍVIDA INTERNA R$ 2,04 trilhões, que saíram dos recursos que poderiam estar sendo investidos na melhoria das condições de vida do povo brasileiro! E o pior, esta dívida, estranhamente, é crescente! Por mais que o Brasil a pague, ela aumenta!

O endividamento público brasileiro afeta diretamente a nossa vida: enquanto a maioria dos recursos dos nossos impostos é destinado ao pagamento dos juros da dívida crescente, faltam recursos para saúde, educação, segurança, saneamento básico para a maioria do nosso povo, além de investimentos geradores de empregos e outros. Você já parou para pensar que não precisaria pagar para o seu filho um excelente colégio e nem para você e a sua família uma assistência médica exemplar, além de ter garantida segurança pública e de excelente qualidade? Se você precisa pagar pelo básico, ou se o serviço público é de má qualidade, é porque:

- Na área da Saúde, o Brasil investe apenas 4,64% do seu orçamento – observamos filas de pessoas atendidas inadequadamente ou escolhidas para morrer nos hospitais públicos, por falta de recursos materiais e médicos suficientes. Alguns labutam para conseguir recursos para pagar um plano de saúde para obter melhor assistência médica;
- Na Educação, o Brasil investe 2,88% do seu orçamento;
- Na Segurança Pública, somente 0,61% – milhares de pessoas são assassinadas por motivos diversos, diariamente, além de sofrerem roubos, assaltos e viverem constantemente em estado de tensão e vigilância, muitas sofrendo com o estresse e ataques de pânico advindos da insegurança pública;

Para o pagamento da dívida, possivelmente, indevida, o Brasil investiu em 2009, 35,57% do seu orçamento! O Governo Lula, cantado e decantado em prosa e verso como o governo da redenção e salvação do povo brasileiro, nunca apagará da história a mancha da corrupção, conhecida como mensalão. O seu partido, PT, que se apresentava como o guardião da moral e da ética na política, (partido do atual Governador do Estado), fez escola. Exemplo seguido pelo DEM, em Brasília, (partido do Ex-governador de Sergipe) candidato, que após 3 (três) mandatos, quer levar o Estado para o passado.

O Governo Lula, com o mensalão, comprou Deputados e Senadores, no inicio do seu primeiro mandato, para aprovar a Emenda Constitucional que instituiu o desconto previdenciário para os aposentados do Serviço Publico, Federal, Estadual e Municipal. O Brasil, vergonhosamente, é um dos poucos Paises do Mundo a descontar previdência do cidadão aposentado. Isto é Governo Lula. Quer mais? No Brasil o cidadão trabalha 148 dias do ano para pagar impostos. É o terceiro Pais no Mundo em tributos, só perde para a Suécia e para a França. Agora compare a qualidade de vida e dos serviços públicos oferecidos aos seus cidadãos: Brasil, Suécia e França.

“Nunca na história deste País” os banqueiros ganharam tanto dinheiro, inclusive os Bancos oficiais, como o Banco do Brasil, que no semestre passado faturou um lucro de mais de R$ 3.000.000,00 (três bilhões de reais). Não sem razão, pois a taxa de juros do Pais é uma das mais elevados do Mundo, senão a maior. Isto, também, é o Governo Lula. A popularidade do Governo Lula, por conta do Programa Bolsa Família, desmotivador para o trabalho, é inconsistente, se acabar o Governo cai em desgraça total.

4- Qual o seu programa para a área da saúde?

Do nosso Programa de Governo, consta: Elaborar um Plano Diretor de Saúde Pública, dando ênfase à unificação das ações para todos os níveis administrativos; criar e estruturar as ações de vigilância sanitária, regionalizada, além de ajudar aos municípios a implantar Centros de Controle de Vigilância Sanitária; re-estruturar, revitalizar e expandir os Hospitais e maternidades e postos de saúde já existentes; Criar e implantar o Hospital do Servidor Público, em parceria com o Governo Federal e as Prefeituras do Estado; criar e implantar o instituto de pesquisa da saúde, estruturando-o para produzir vacinas e produtos farmacêuticos, a partir do já existentes Parreiras Horta; criar implantar uma unidade de saúde para o trato exclusivo de idosos – geriatria; criar e implantar Postos de Puericultura, em todo Estado.

5- Qual o seu programa para a área da educação?

Realização imediata do Plano Diretor de Ensino; reduzir o déficit escolar em todos os níveis; dotar todas as unidades de ensino, principalmente, as que contemplam as primeiras séries, de infra-estrutura capaz de atender em caráter permanente ao estudante e sua família; reformular o Estatuto do Magistério, do Conselho Estadual de Educação, revisar os Currículos Escolares, para adequar o ensino às novas metodologias; implantar em todas as unidades de ensino uma biblioteca dentro da realidade de cada currículo-programa adotado; criar e implantar unidades de ensino profissionalizantes de ciclo fechado, em todos os municípios, preparando mão de obra para o mercado de trabalho; criar e implantar a Universidade do Estado de Sergipe para ofertar cursos superiores direcionados para a nossa realidade e vocação do Estado e da Região.

6- Qual o seu programa para solucionar os problemas da moradia?

Erradicar o déficit da casa própria, no Estado, com a implantação do Projeto denominado: Família Feliz – tem casa, trabalho, educação, saúde e segurança. O formato do Projeto Família Feliz envolve parceria dos 3 (três) níveis de Administração Pública: Federal, Estadual e Municipal e a família beneficiada.

O ‘Família Feliz’ objetiva atender a demanda das classes C, D e E, construindo casas e apartamentos ao preço de custo de construção, através do sistema de Cooperativa Habitacional, experiência que o candidato tem como ex- Diretor Administrativo da Cooperativa Habitacional Jardim Grageru – COHAJAG- que construiu os projetos: Parque residencial Diamante, (Blocos de Apartamentos) à Avenida Rio de Janeiro e o Projeto Residencial Bela Vista (casas), localizado com frente ao Conjunto Castelo Branco.

O Projeto Família Feliz prevê a construção de casas populares para os desempregados, os sem renda e os sem condição de trabalho, como resgate da dignidade da pessoa humana e auto-estima da família. Estes participarão da construção no sistema de mutirão, com a sua mão de obra e receberão a casa para morar, por contrato, com direito ao uso por um período nunca inferior a 25 anos, ao final do qual poderá receber definitivamente e o direito do patrimônio, se nela tiver permanecido. O que os Democratas Cristãos querem é o resgate da dignidade humana e a Felicidade da Família.

7- Qual o seu programa para a reforma agrária?

PSDC considera Reforma Agrária como necessária para o desenvolvimento econômico do Estado e a prática da justiça social e se dobra perante o que preceitua a Constituição Estadual:

“A política fundiária do Estado tem por objetivo o bem-estar social e o progresso econômico, através de ações voltadas para a correção da sua estrutura agrária, promovendo o acesso e a justa distribuição da terra, assegurando o direito de propriedade que cumpra a função social estabelecida na Constituição Federal e incentivando a sua produção” Art. 170, da Constituição do Estado.

“O Estado fomentará, preferencialmente em terras a ele pertencentes ou a Município, mediante convênio com este, o assentamento de famílias de lavradores previamente selecionadas, condicionando-o à destinação agrícola e à proibição de desmembramento ou negociação antes de decorrido o prazo de dez anos” Art. 171 da Constituição Estadual.

“Cabe ao Estado destinar parte dos recursos orçamentários para a implantação de projetos de colonização e de reforma agrária”. Art. 172 da Constituição Estadual. Promover a Reforma Agrária é dever e obrigação dos Governantes, o que faremos como um dos compromissos de campanha.

Ivaldo José critica quantidade de retornos no trânsito de Aracaju


Nailton Andrade e Alexandra Brito
E-mail Print PDF

O vereador Ivaldo José (PDT) fez críticas à quantidade de retornos que existem nas principais avenidas da capital sergipana. O pronunciamento foi feito durante a sessão da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), nesta quinta-feira, 26/8. O verador também lembrou a necessidade da implantação de passarelas para dar maior fluidez no trânsito. "É preciso urgentemente repensar o trânsito de Aracaju, não para daqui a 20 ou 30 anos, mas para já", enfatizou.
Segundo Ivaldo, a grande quantidade de retorno nas principais avenidas só atrapalha o fluxo do trânsito, principalmente em horários de pico. "Encaminharei um ofício ao superintendente da SMTT para que reavalie o número de retornos na capital", informou, lembrando que nas grandes capitais do país, a exemplo de São Paulo, é preciso andar quilômetros e quilômetros para fazer um retorno nas grandes avenidas.
De acordo com o parlamentar, no mesmo ofício que enviará à SMTT, estará solicitando a implantação de passarelas na cidade, destinadas à travessia de pedestres, de forma segura. "Aracaju ainda está atrasada nesse sentido, comparada a outras capitais. Ainda existe muita resistência por parte dos pensadores do trânsito em Aracaju", lamentou o parlamentar.
Ivaldo finalizou sua fala solicitando aos demais parlamentares que se somem nessa luta, cujas soluções irão beneficiar toda população.

quinta-feira, agosto 26, 2010

Polícia precisa ser eficaz e não violenta

¿A polícia brasileira está entre a polícia que mais mata no mundo. Nunca policiais brasileiros mataram tanto¿. É o que mostra o relatório publicado em dezembro de 2009 pela ONG Human Rights Watch. O relatório, elaborado com dados coletados em dois anos de pesquisa, contém 134 páginas e intitula-se ¿Força letal: violência policial e segurança pública no Rio de Janeiro e em São Paulo¿.

As polícias do Rio e de São Paulo matam mais do que 1.000 pessoas por ano em casos registrados como ¿auto de resistência seguido de morte¿. No Rio, a cada 23 pessoas presas, uma é morta pela polícia. Um em cada cinco homicídios tem como autor um policial (20%). Já em São Paulo, a cada 348 pessoas presas, uma é morta pela polícia. Só a título de comparação, nos Estados Unidos é preciso prender mais de 37 mil suspeitos para que haja uma morte em supostos confrontos.

Outro fato que chama atenção são as mortes cometidas por policiais fora do expediente, matando mais centenas, frequentemente quando agem como membros de milícias e em grupos de extermínio. Segundo o relatório, as polícias recorrem à força letal de forma rotineira, frequentemente cometendo execuções extrajudiciais e exacerbando a violência.

Em outras palavras, a grande maioria dos homicídios cometidos pelos policiais, relatados como ¿legitima defesa¿ ou ¿resistência seguida de morte¿, são, na verdade, execuções extrajudiciais.

O relatório afirmou que os policiais responsáveis por homicídios no Rio e em São Paulo raramente são levados à Justiça. A causa principal é que os suspeitos destes casos não são investigados como homicidas, mas autores de ¿resistência seguida de morte¿.

Além de que cabe quase que inteiramente aos membros das próprias corporações tomarem as medidas necessárias para determinar a verdade dos fatos. Dessa forma - enquanto couber as policias investigar a si mesmas ¿ está garantido que não se possa determinar a responsabilidade criminal aos policiais por assassinato e, assim, permanecem impunes e as execuções continuam.

Ainda segundo o relatório, os locais de crime são adulterados e raramente reconstituições são feitas. Uma investigação séria de homicídio é pouco provável. É o que ressalta Philip Alston, relator da ONU.

Algumas recomendações para reduzir a violência policial foram apresentadas, dentre elas: i) criar unidades especializadas dentro dos Ministérios Públicos para investigar homicídios após a ¿resistência¿; ii) estabelecer e implementar procedimentos para a preservação da cena do crime que impeçam que policiais realizem falsos ¿socorros¿ e outras técnicas de acobertamento; iii) melhorar o salário dos policiais, já que a baixa remuneração favorece a corrupção, extorsão e trabalhos de assassinos de aluguel; iv) garantir a segurança de testemunhas de execuções; v) garantir a segurança e os direitos dos presos, já que estes temem reportar casos de violência; vi) garantir que os policiais responsáveis por execuções extrajudiciais sejam responsabilizados e punidos criminalmente; vii) reestruturar as ouvidorias; viii) aumentar a independência das corregedorias; ix) mais recursos e mais independência para polícias técnicas.

Embora grande parte da população acredite que a melhor solução contra a violência é colocar mais policiais nas ruas, não é de se esperar que, diante desse quadro, segundo uma pesquisa feita pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), em 2008, mais da metade (56,1%) da população do Rio não confia na Polícia Militar. Em relação à Polícia Civil, 42,9% da população investigada afirmou não confiar na corporação.

Enfim, embora predomine o discurso de que a polícia se empenha ao máximo para evitar mortes, mas ¿não se pode fazer um omelete sem quebrar os ovos¿ ou ¿temos que lutar e vencer o crime¿, ¿salve-se quem puder¿. Todos têm direito à vida. Não importa quem quer que seja. A letalidade não pode ser vista como necessária. Essa atitude precisa mudar. Os cidadãos precisam de um policiamento mais eficaz e não de uma polícia mais violenta.

* É professor de Direito Penal e Processo Penal (Unerj/PUC-SC), Mestre em Direito Penal (Unimep-SP) e Especialista em Direito Penal e Criminologia (ICPC/UFPR)

Brasileiros não confiam na polícia. Você confia?







Andrey Ricardo

De Fato

Uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), de São Paulo, revelou que mais de 60% dos brasileiros não confiam na polícia e na justiça. Entre as dez instituições que foram pesquisadas, a polícia ficou em 6º e a justiça em 8º. A mais bem avaliada entre os brasileiros entrevistados são as Forças Armadas, onde 63% alegaram confiança. Em última colocação, vêm os partidos políticos, posição não muito confortável em um período de eleições pelo Brasil.

O estudo produzido através do o Índice de Confiança na Justiça (ICJBrasil), da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (Direito GV). A sondagem procurou saber como estava a popularidade de dez instituições diferentes, perguntando se os entrevistados confiavam ou não. Foram entrevistados 1.550 pessoas de sete Estados: Rio Grande do Sul, São Paulo, Distrito Federal, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro – o RN não participa. Esses sete Estados representam cerca de 60% da população brasileira, segundo o Censo de 2000 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa foi realizada durante os meses de abril, maio e junho desse ano e está sendo adotada como parâmetro para avaliar a situação dessas instituições em todo o Brasil, inclusive o RN, que não foi sondado nesse estudo.

Acima da polícia, estão Forças Armadas, em primeiro lugar (63%),

grandes empresas (54%),

Governo Federal (43%),

emissoras de TV (42%) e

imprensa escrita (41%).

Já na segunda metade da tabela, estão a polícia (38%),

Igreja Católica (34%),

Poder Judiciário (33%),

Congresso Nacional (28%) e

os partidos políticos (21%), tidos como menos confiáveis.

ESTRUTURA

Para o delegado regional de Mossoró, Renato Batista da Costa, os policiais não podem ser responsabilizados por um problema que se arrasta há vários anos no Brasil. Ele diz que a pesquisa reflete exatamente como a população vê os policiais, prejudicados pela falta de estrutura que se agrava ao longo dos anos. “Segurança pública nunca foi prioridade no país. Isso (a posição da polícia na pesquisa) reflete exatamente como a população vê essa falta de investimento na segurança pública”, avalia o delegado, ressaltando que é preciso haver maior atenção para modificar essa realidade.

Renato Batista lembra ainda que a própria estrutura da polícia influencia diretamente na maneira como ela é vista pela população. Com muitas deficiências, ele explica que é difícil prestar bons serviços e isso pode ter refletido no resultado dessa pesquisa. “Se observarmos os órgãos da polícia, não só aqui no Rio Grande do Norte, mas em todo Brasil, a maioria é mal-cuidada. Os aspectos físicos são precários. Então, essa falta de prioridade com a segurança, de uma maneira geral, prejudica. A gente não vê, nem em nível nacional, delegacias estruturadas”, destaca Renato.

Justiça é a instituição com menor confiança

Apesar da pesquisa feita pela FGV apontar a Justiça brasileira como uma das instituições com menor confiança, o estudo mostra que, mesmo assim, a maior parte dos entrevistados já procurou os serviços da justiça para resolver os seus problemas. Quase metade dos entrevistados (49%) pelo Índice de Confiança na Justiça (ICJBrasil) declarou que já entrou com algum processo ou ação na Justiça. A pesquisa ouviu 1.550 cidadãos em sete Estados (SP, MG, RJ, DF, PE, BA e RS), durante o segundo trimestre de 2010.

“É possível observar uma clara relação da utilização do Judiciário com a renda, a escolaridade e o local de residência da população”, explica Luciana Gross Cunha, professora da Direito GV e coordenadora do ICJBrasil. “Quanto maior a renda e a escolaridade, maior a utilização do Judiciário. Moradores dos centros urbanos também recorrem mais à Justiça, se comparados a quem habita nas cidades do interior”, acrescenta Gross.

Os dados do ICJBrasil apontam que 19% dos respondentes da pesquisa, que ganham até 2 salários mínimos, declararam ter entrado com algum processo na Justiça, contra 58% da população cuja renda ultrapassa 12 salários mínimos. Ou seja, a maior parte das pessoas que aciona a justiça é de classe média/alta.

Já em relação ao nível de escolaridade, entre os que não completaram o colegial, o percentual de quem respondeu que já utilizou o Judiciário chega a 43% contra 68% dos entrevistados que têm ainda concluíram o nível superior.

A reportagem procurou o Tribunal de Justiça (TJ) do Rio Grande do Norte na tarde de sexta-feira passada para que comentar o resultado dessa pesquisa, que representa a opinião de 60% da população brasileira, mas a assessoria de imprensa não conseguiu localizar um juiz para falar sobre o assunto. Entretanto, através da assessoria, o TJ declarou que vem realizando atividades para dar maior celeridade aos processos judiciais do Estado. O TJ do Rio Grande do Norte apresentou estatísticas de pesquisas recentes que o colocam entre os mais eficientes do Brasil no que diz respeito a rapidez nos processos.

Reformas têm caráter paliativo

As delegacias Distritais e Especializadas de Mossoró estão abrigadas em prédios antigos, que há muitos anos são submetidas àquelas reformas de caráter paliativo. Porém, um projeto encaminhado à Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social prevê a resolução desse antigo problema.

A intenção, de acordo com o delegado regional de Mossoró, Renato Batista da Costa, é criar uma Central de Polícia Civil para a cidade. O prédio iria abrigar as Especializadas em Furtos e Roubos, Narcóticos, Adolescente, Defraudações, além da DP de Plantão e das coordenadorias, que são a DP Regional e a Divisão de Polícia do Oeste (DIVIPOE).

Para Renato Batista, além de dar maior comodidade àqueles que procuram os serviços da Polícia Judiciária, a mudança servirá também para dar melhores condições de trabalho para os policiais.

“Hoje está havendo algumas mudanças pontuais, como na Polícia Federal, que tem recebido um investimento muito bom e, consequentemente, a PF têm melhorado em suas atividades”, explica Renato.

Renato Batista lembra que a falta de confiança dos brasileiros na polícia, o que na pesquisa inclui a Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, não pode recair sobre os policiais. Ele ressalta que “os policiais são apenas vítimas”.

“O mau serviço prestado não é culpa do policial. Na verdade, é a falta de vontade política. É preciso haver investimento em todas as questões da segurança. Está faltando vontade política, em nível nacional e regional para que se mude essa situação. Os policiais são vítimas dessa situação. Eles não gostam dessa situação”, complementa Renato.

O documento solicitando a criação de uma Central de Polícia Civil foi enviado à Sesed em abril desse ano. Até agora, não houve uma definição se esse pedido será atendido.

Por enquanto, as delegacias de Mossoró e região continuam funcionando em prédios antigos, muitos deles em péssimas condições estruturais. As delegacias Distritais e Especializadas de Mossoró estão abrigadas em prédios antigos, que há muitos anos são submetidas àquelas reformas de caráter paliativo.

CONFIANÇA


Apesar da pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas apontar a Justiça brasileira como uma das instituições com menor confiança, o estudo mostra que, mesmo assim, a maior parte dos entrevistados já procurou os serviços da justiça para resolver os seus problemas. Quase metade dos entrevistados (49%) pelo Índice de Confiança na Justiça declarou que já entrou com algum processo ou ação na Justiça. A pesquisa ouviu 1.550 cidadãos em sete Estados (SP, MG, RJ, DF, PE, BA e RS), durante o segundo trimestre de 2010.

“É possível observar uma clara relação da utilização do Judiciário com a renda, a escolaridade e o local de residência da população”, explica Luciana Gross Cunha, professora da Direito GV e coordenadora do ICJBrasil.

Vereadores de Lagarto aprovam licença-maternidade de 120 dias

Foi aprovado em unanimidade pela Câmara de Lagarto, o projeto de lei de autoria dos vereadores Euzébio Francisco (PSDB) e Flamarion Déda (PT), que aumenta a licença-maternidade de 120 dias para 180.

“Este projeto é importante porque ajudará as mães servidoras públicas a cuidar melhor dos seus filhos. Além disso, já é provado que quanto mais tempo o bebê permanece mamando o leite materno, menor é o risco dele contrair doenças. Ganha o bebê, a mãe e o setor público, pois economiza gastos com internamentos e medicações”, explicou Flamarion, durante discurso no plenário da Casa.

Laércio Oliveira inaugura comitê na capital




Jornalista: Humberto Junior




O candidato a deputado federal Laércio Oliveira (PR) inaugurou comitê central na noite da última segunda-feira, 16, na avenida Ivo do Prado. Fizeram-se presentes o candidato pelo governo do Estado Marcelo Déda (PT), o candidato ao Senado Eduardo Amorim (PSC), candidatos a deputado estadual e o prefeito de N.S. do Socorro, Fábio Henrique (PDT).
“Não tem eleição definida, quem vai fazer a eleição de Laércio é cada um de nós. Com trabalho, com luta, com dedicação. Queremos ver a mudança na Câmara Federal e a renovação é Laércio Oliveira”, discursou o prefeito Fábio Henrique. Dizendo ainda que decidiu apoiá-lo por sua transparência e pelo trabalho prestado a sociedade sergipana.
“Para que Laércio estivesse neste espaço e no Partido da República tivemos diversas conversas. Conversas honestas e de irmão para irmão. Temos os mesmos objetivos trabalhar pelo estado de Sergipe, do nosso povo e do nosso País. Não tenho nenhuma dúvida que veremos a vitória desse homem justo e compromissado que é Laércio Oliveira”, disse o candidato ao Senado Eduardo Amorim.
Laércio Oliveira ao discursar pediu que as pessoas pesquisem sobre seu nome e sobre seu trabalho realizado em Sergipe. “Para que tenhamos vitória no dia 3 de outubro é preciso estarmos juntos e confiantes que podemos chegar lá. Gostaria que as pessoas conhecessem meu trabalho e minha luta, mesmo como empresário, por esse querido estado”, disse.
O candidato pela reeleição do governo de Sergipe, Marcelo Déda, começou sua fala lembrando aos presentes a música ‘Expresso 2222′ composição de Gilberto Gil. “Começou a circular o expresso 2222. Eu acredito nesse expresso, sei que Laércio pode contribuir com a classe política de Sergipe. Acredito que ele ajuda a consolidar uma nova liderança com trânsito no empresariado, para construir uma nova relação. Tenho convicção que você é um homem cristão e é um cidadão consciente”, disse Déda afirmando ainda que Laércio disputou as eleições em 2006 e ficou na primeira suplência e quando teve a oportunidade de assumir o cargo na Câmara, assumiu com dignidade.

quarta-feira, agosto 25, 2010

Suplentes: quem são eles?



Até meados de Julho deste ano, 17 suplentes foram empossados no Senado Federal, representando 21 % do total de cadeiras na Casa. Em período eleitoral, os candidatos ao Senado já iniciaram suas campanhas, além disso, pesa sob as eleições de Outubro a renovação de 2/3 dos nomes, ou seja, os eleitores deverão votar em dois candidatos. No entanto, durante o período de campanha, pouco se fala a respeito dos nomes escolhidos para serem os dois suplentes de cada um dos candidatos, e também é muito pouco divulgado que estes suplentes podem assumir o cargo de senadores da República em circunstâncias específicas.
A cientista política da UFSCAR Maria do Socorro Braga explica que a eleição ou nomeação dos senadores para outros cargos e o falecimento dos mesmos são os principais motivos que levam os suplentes a assumirem o posto no lugar dos titulares. Vale lembrar que, por se tratar de eleição para um cargo cujo mandato é de 8 anos, freqüentemente os senadores deixam seus cargos para assumirem outro posto político.

Em geral, os suplentes são escolhidos ou para atuarem como financiadores das campanhas ou então para fortalecer determinada coligação política.

Na chapa do candidato ao Senado Eduardo Amorim, dois nomes fortalecem e desponta como figuras importantes nesse cenário tão disputado esse ano. Laurinho da Bomfim e KaKa Andrade. Laurinho empresário bem sucedido e que diariamente percorre vários bairros de Aracaju e a grande Aracaju na busca de apoio e votos para Eduardo Amorim. KaKa Andrade têm um histórico político na região do Sertão e lidera uma campanha limpa e favorável ao crescimento do candidato Amorim.

Participação

Uma participação mais efetiva é o que prega o 2ºº suplente do candidato Eduardo Amorim, KaKa Andarde. "sou um suplente que acredito que no senado Amorim tendo um representante conhecedor da problemática da região vai poder trabalhar de forma a fortalecer nossa região com projetos de interesse para o nosso povo.. Neste momento estamos trabalhando em regiões diferentes, mas o projeto é conjunto", afirma KaKA, que complementou dizendo que é amigo pessoal de Amorim, e foi convidado para ser suplente pelo próprio candidato. O próprio Eduardo Amorim afirmou que KaKa Andrade é um "nome novo em Sergipe e que no senado saberá reconhecer a importância dos suplentes nesse processo eleitoral

"O Senado não é o céu, mas um lugar onde é preciso trabalhar", diz Eduardo Amorim




Candidato a senador alerta eleitores sobre as pesquisas tendenciosas com o objetivo de enganar

Ampliar Foto
Amorim: alerta sobre pesquisas
Amorim: alerta sobre pesquisas

Por Joedson Telles



O deputado federal Eduardo Amorim (PSC) reuniu políticos, jornalistas e amigos, na tarde desta terça-feira, dia 24, na Fazenda Boa Luz, para uma confraternização. Candidato ao Senado Federal, Amorim agradeceu o apoio que tem recebido, comemorou o crescimento da sua campanha e alertou sobre a necessidade de se rechaçar no seio da sociedade as pesquisas tendenciosas, que são divulgadas com números que não refletem a realidade, mas têm único objetivo de tentar levar o eleitor a votar em quem, supostamente, aparece em vantagem. Amorim ratificou ainda seu compromisso com Sergipe, e mandou um recado aos que fazem da política um meio tranquilo de vida, e não uma ferramenta em benefício da sociedade.



"O Senado não é o céu como muitos já disseram, mas um lugar onde é preciso trabalhar. Trabalhar muito por Sergipe. O tapete do Senado é azul e lembra o céu. Mas não é o céu. Lá não é lugar de descanso. O Senado tem prerrogativas que a Câmara não tem, e o mandato de senador é o dobro do mandato de deputado federal. Se como deputado foi possível fazer muito por quase todos os municípios do nosso estado, como senador, tenho muita consciência ser possível fazer muito, e muito mais. Quero representar com muito orgulho o meu povo, a minha gente. Diga sim para uma educação de qualidade. Diga sim para uma saúde de qualidade. Diga sim para segurança. Diga sim para a geração de emprego. Porque, para quem acredita em Deus, como nós acreditamos, Ele faz a parte Dele. Precisamos fazer a nossa, escolhendo com decência e responsabilidade, pensando no nosso futuro", disse Eduardo Amorim.



O deputado Eduardo Amorim explicou o que o levou a trocar uma reeleição, praticamente assegurada, segundo analistas políticos, pela disputa do Senado Federal, mesmo sabendo das dificuldades que teria pela frente. "Minha profissão é a medicina. Estou na política, mas sou médico. O verbo ser é definitivo. O verbo estar temporário. Eu tenho consciência disso, e estou na política para ajudar. Afinal, acredito que este País é o melhor País do mundo, mas há muita injustiça social. E a única forma de corrigir isso é com a política. E o meu amor por Sergipe é muito maior (que o projeto pessoal). Não quis ficar morando em São Paulo, na Espanha, embora tive oportunidade com a medicina. Sou sergipano. Vim cuidar da dor física dos meus conterrâneos. E agora quero cuidar da dor que aflige todos nós: a dor da insegurança, da ausência de qualificação da escola, da saúde pendente, do desemprego... tudo isso é sofrimento. É dor", ressaltou.



Segundo Eduardo Amorim, as mensagens do seu compromisso com Sergipe e da renovação da política (leia-se dos representantes dos sergipanos em Brasília) estão sendo bem compreendida pelo sergipano, que o recepciona calorosamente nos eventos da campanha por todo o estado. "A gente sente que as pessoas querem renovar. A renovação se transforma em confiança. Isso é bom", disse o deputado.

Da redação Universo Político.com

Busão do Brasil chega a Canindé/SE



Publicado em 23/08/2010

por genilsonsantos



O novo reality show “Busão do Brasil” da Band, chegou a Canindé de São Francisco/SE no ultimo sábado (21) e ficará até o sábado (28). Na chegada os participantes e a produção foram recebidos pela banda marcial do município, desejando-lhes boas vindas.

Canindé de São Francisco é uma cidade turística do alto sertão sergipano, onde está localizado o 5º maior Canyon navegável do mundo e a 2ª maior hidroelétrica do país (hidroelétrica de Xingó) ambos no Rio São Francisco que banha esta cidade de pouco mais de 25 mil habitantes, tem como fonte de renda a agricultura e piscicultura. Na agricultura destaca-se a produção do quiabo sendo proporcionalmente o maior portador de quiabo do país.

Na quinta-feira (26) será realizada no Estádio Municipal André Avelino, a prova da corrida do quiabo, onde os participantes irão correr sobre uma lona escorregadia contendo quiabo. A pedido do prefeito de Canindé, Orlandinho, e atendendo aos anseios da população, a prova será aberta ao público e terá duração aproximadamente de 40 minutos de gravação. O vencedor terá o direito de conhecer o Canyon do São Francisco.

O Busão vai sofrer mudança no dia em que os participantes serão eliminados do reality show. A mudança foi anunciada no programa desta sexta-feira (20), ao vivo.

A eliminação vai passar a ocorrer nas terças-feiras –antes só havia um rápido boletim–, quando o reality passará a ter outra edição de uma hora, com entrada ao vivo do apresentador Edgard Piccoli.

Até a semana passada, a eliminação ocorria às sextas-feiras, quando o programa tinha uma edição mais longa, com o resumo da semana dos participantes.

As médias de ibope do programa têm variado entre 3 e 4 pontos, consideradas baixas.

Por: Genilson Santos

segunda-feira, agosto 23, 2010

TCE de olho em ordenadores de despesas

Gestores são autoados pelo TCE,veja a lista completa:




José Carlos dos Santos /Prefeitura Municipal de Feira Nova (Despacho Nº 126/2010)

- Rubens Feitosa Melo / Prefeitura Municipal de Itabi (Despacho Nº 132/2010)

- Telmo Guimarães Santos / Prefeitura Municipal de Japoatã (Despacho Nº 134/2010)

- Augusto César Aguiar Dinizio / Prefeitura Municipal de Malhada dos Bois (Despacho Nº 135/2010)

- Sarina Moreira da Silva Faro / Prefeitura Municipal de Malhador (Despacho Nº 136/2010)

- João Vieira de Aragão / Prefeitura Municipal de Monte Alegre (Despacho Nº 137/2010)

- Luana Michele de Oliveira Silva / Prefeitura Municipal de Nossa Senhora da Glória (Despacho Nº 139/2010)

- Cleverton Santos / Prefeitura Municipal de Pedra Mole (Despacho Nº 141/2010)

- Enoque Salvador de Melo / Prefeitura Municipal de Poço Redondo (Despacho Nº 142/2010)

- Ricardo José Roriz Silva Cruz / Prefeitura Municipal de Santana de São Francisco (Despacho Nº 149/2010)

- Alexsander Oliveira de Andrade / Prefeitura Municipal de São Cristóvão (Despacho Nº 151/2010)

- Adilson de Jesus Santos / Prefeitura Municipal de Tobias Barreto (Despacho Nº 154/2010)

- José Adelmo Alves / Prefeitura Municipal de Tomar do Geru (Despacho Nº 155/2010)

Para acessar a matéria na íntegra clique aqui:endereço da matéria na infonet
Fonte: Ascom TCE/SE - revistacaninde.blogspot.com

Floro exigiu, em 2003, que magistrada libertasse dois pistoleiros. “Se não soltar, mato um dos seus filhos e entrego a cabeça na bandeja”

Floro Calheiros Barbosa, também conhecido como Ricardo Alagoano, tem uma vida ligada à pistolagem muito conhecida, principalmente em Sergipe e na Bahia.

Preso duas vezes, por duas vezes fugiu, as duas vezes em Sergipe.

Não há ninguém punido!

Principal suspeito de ter encomendado a morte do presidente Regional Eleitoral, desembargador Luiz Mendonça, Floro liderou o grupo que roubo urnas do Fórum de Canindé do São Francisco. Durante a ação desenvolvida na sede do Judiciário no município, pelo menos um dos marginais urinou na gaveta do magistrado. Floro estava no local.

Em sua tajetória contra autoridades do Judiciário sergipano, segundo relatou "Alemão", um de seus mais conhecidos pistoleiros, Floro telefonou para uma magistrada sergipana, e exigiu que ela mandasse libertar dois pistoleiros. Para não deixar dúvida sobre extrema ousadia, Floro deu o seguinte recado à magistrada: “se não soltar, mato um dos seus filhos e entrego a cabeça na bandeja”. Depois de meia hora os dois pistoleiros foram soltos.

TRAJETÓRIA DE CRIMES

São muitos os crimes atribuídos a Floro Calheiros.

No dia 21 de janeiro de 2008, o site baiano Radar 64 publicou matéria, que começou com o relato de sua segunda prisão:

Floro Calheiros, o "Ricardo Alagoano", acusado da morte do ex-deputado Mauricio Cotrim e também de outros homicidios na Bahia, foi preso no final da manhã deste sábado (19), numa de suas propriedades em Gurupi, cidade localizada no sul do Estado de Tocantins, conforme já noticiou o Radar64.

Floro era conhecido na cidade como ‘Doutor Gonçalves e já vinha se consolidado na região de Gurupi como fazendeiro influente no ramo de criação de gado. Os policiais encaminharam Floro Calheiros, inicialmente, para a sede da Polícia Federal em Palmas, onde foi transferido em seguida para Aracaju.

A “caçada” para prisão de Ricardo Alagoano se intensificou após o delegado-chefe da Polícia Civil no Estado da Bahia, João Barbosa Laranjeira ter designado, em 09/11/2007, o delegado André Luiz Serra, para presidir o inquérito policial para investigar o homicídio do ex-deputado estadual Maurício Cotrim Guimarães, 59 anos, assassinado com 5 tiros de arma de fogo, quando o mesmo fazia uma caminhada no final da tarde do dia 14/09/2007, no centro de Itamaraju, cidade localizada no extremo sul do estado.

Após algumas investigações na noite do dia 13/11/2007, foi preso em casa, na cidade de Eunapolis, pela equipe do delegado André Luiz Serra, o pistoleiro Antônio Medeiros, o “Alemão”, 48 anos, que ao prestar depoimento ao delegado confessou sua participação no assassinato de Mauricio Cotrim em companhia de outro pistoleiro conhecido por “Roque”, a mando de Floro Calheiros Barbosa, o “Ricardo Alagoano”.

“Alemão” ainda confessou que assassinou outras pessoas na Bahia a mando de "Ricardo Alagoano", dentre elas: uma mulher e um traficante conhecido por “Toninho”, em Teixeira de Freitas, cinco pessoas de uma mesma família, em Corumbau, no município de Prado, o empresário Djair Eloy, sócio-gerente do grupo “Paratodos”, em Eunápolis, e José Carlos da Silva Moraes, 51 anos, gerente da casa de shows Axé Moi, em Porto Seguro, além de algumas pessoas no estado de Sergipe e Rondônia, todos estes a mando de “Ricardo Alagoano”. "Alemão" confessou também que assassinou o próprio irmão em Almenara/MG.

O pistoleiro “Alemão” ainda disse que o seu parceiro “Roque” foi quem atentou contra a vida do ex-prefeito de Mucuri, Roberto Carlos Figueiredo Costa, “Robertinho”, na noite do dia 23 de abril de 2004, quando o ex-prefeito teve o seu carro alvejado com 12 tiros quando saia de sua casa em Mucurí em companhia de familiares e um amigo. Na ocasião, Robertinho, a babá da sua filha e um amigo, saíram feridos à bala.

Depois de ser preso em Eunapolis "Alemão" foi encaminhado para Polinter, em Salvador, e posteriormente ao Complexo de Operações Policiais Especiais de Aracaju, em Sergipe, para prestar depoimento sobre a participação em assassinatos naquele Estado.

Em Sergipe o “Alemão”, contou, com riqueza de detalhes, perante a juíza Iolanda Guimarães, da 5ª Vara Criminal, e ao promotor de Justiça Augusto César de Resende Leite, alguns assassinatos praticados em Sergipe, a mando de Ricardo Alagoano.

“Alemão” confirmou tudo sobre o crime do ex-deputado estadual de Sergipe Joaldo Barbosa, ocorrido em janeiro de 2003, na residencia do parlamentar, a mando de "Ricardo Alagoano". Confirmou a participação de todos que já foram condenados como executores do crime e disse que a morte de Joaldo se deu por questões políticas e a um empréstimo que não foi pago.

O pistoleiro Alemão também contou que Floro Calheiros assassinou um dos seus seguranças, chamado Josualdo, no quarto de um hotel em Aracaju, onde se encontrava com a namorada. Segundo ele, Josualdo era ligado ao ex-prefeito de Canindé do São Francisco, Genivaldo Galindo e teria perdido a confiança de Floro. A morte fora queima de arquivo.

Segundo ainda Alemão, em seu depoimento, Floro Calheiros mata todos os seus homens de confiança, após trabalhar com ele alguns meses ou anos, “como queima de arquivo”. O motorista Alexandro, que se encontra preso, confirmou esse seu estilo. Alemão disse até onde ele joga os cadáveres: em uma cisterna, numa propriedade que possuía em Teixeira de Freitas.

Alemão também falou sobre a fuga de Floro Calheiros da 3ª Delegacia em Aracaju. Disse que quando ele foi preso, um dos seus “laranjas”, conhecido por Moisés, que residia em Teixeira de Freitas, extremo sul da Bahia, queria vir resgatá-lo, mas não foi necessário. “Ricardo Alagoano” deixou a cadeia três meses depois, pela porta da frente da delegacia e foi levado pelo motorista de nome Silvano, confirmando que ele pagou R$ 300 mil pela fuga, parte dessa quantia em notas falsas.

Após a fuga em 2003, conta “Alemão”, Ricardo Alagoano fez graves ameaças a uma juíza da capital para que ela soltasse dois pistoleiros seus que estavam presos na ocasião para que um dos filhos da magistrada não morresse. De onde estava, “Ricardo Alagoano” ligou para a esposa – Paulina – e pediu que ela ligasse para a magistrada, para exigir que “ela soltasse os matadores”. E, segundo “Alemão”, “Ricardo Alagoano” teria feito a ameaça: “se não soltar, mato um dos seus filhos e entrego a cabeça na bandeja”. Depois de meia hora os dois pistoleiros foram soltos.

Leia mais em Radar64

ALEMÃO FOI ASSASSINADO

Em 2009, "Alemão" foi assassinado, a mando de Floro.

Sobre o assassinato, Radar64 publicou a seguinte matéria no final da noite de 1º de fevereiro de 2009:

O paraibano Antonio Medeiros, 50 anos, foi assassinado neste domingo (1º), com um tiro na nuca, na cidade de Eunápolis. O crime aconteceu por volta das 22:00 horas, na Praça dos Trabalhadores, no bairro Moisés Reis.

’Alemão’ morto com tiro na nuca
(Foto: Hugo Santos)
’Alemão’, como era mais conhecido, foi destaque na imprensa baiana porque foi preso sob a acusação de ser pistoleiro e ter assassinado o ex-deputado e empresário Maurício Cotrim Guimarães, em setembro de 2007, na cidade Itamaraju.

Medeiros morava em Eunápolis, em frente à praça onde morreu e segundo apurou a Polícia Militar, ele se deslocou alguns metros até um telefone público e quando fazia uma ligação para a sua mulher, que está viajando, foi executado a queima roupa.

O delegado Marivaldo Felipe, que fez o levantamento cadavérico, diz que pelas informações colhidas até o momento a morte de ’Alemão’, a princípio, não tem perfil de ter sido a mando de alguém.

Marivaldo já ouviu uma testemunha, que afirmou que ’Alemão’, que estava bêbado, teve um desentendimento, horas antes, com uma pessoa ainda não identificada, em uma lan house e que teria prometido matá-la.

’A pessoa ameaçada foi alertada que Antonio Medeiros era perigoso e deve ter resolvido matá-lo primeiro, até porque logo após a discussão, em vez de ir pra casa, ele ficou com o caminhão rodando na praça, intimidando o desafeto’, acrescenta.

Para o delegado, o pistoleiro que vem para matar normalmente dá mais de um tiro, para a vítima não ter chance de sobreviver.

Filho diz que foi queima de arquivo
(Foto: Hugo Santos)
O filho de ’Alemão’, Leandro Medeiros, 35, afirmou no local do crime, ao portal RADAR64, que foi queima de arquivo ou vingança, já que ’Alemão’ era acusado de uma série de crimes, mas que sempre foi inocente.

’Alemão’, que ficou sete meses preso, parte deles na sede da Polícia Civil, em Salvador, chegou a confessar que a morte de Cotrim foi encomendada por Floro Calheiros, o Ricardo Alagoano, com quem o ex-deputado teria contraído uma dívida de campanha política. Floro fugiu da prisão em dezembro passado, de forma espetacular.

Na ocasião, ele também admitiu participação nas mortes do bicheiro Djair Eloy, em Eunápolis, e do gerente do Axé Moi, José Carlos da Silva Moraes, em Porto Seguro, mas não apontou os mandantes.

Após ser solto por falta de provas, em junho do ano passado, ‘Alemão’ garantiu que confessou os crimes porque sofreu torturas na prisão e prometeu entrar com processo contra o Estado da Bahia, pedindo indenização, já que sua imagem ficou comprometida e não conseguiria mais arranjar emprego.

’Alemão’ foi libertado depois de a polícia concluir que foram três irmãos ciganos que contrataram pistoleiros para realizar o crime.

ESTÁCIO GOMES - Coincidendencia ou não, em 18 de novembro do ano passado, o empresário Estácio Silva Gomes, 53 anos, foi morto em companhia de seu filho, o estudante de Direito João Paulo Gomes Silva, 26, no centro de Teixeira de Freitas.

Estácio foi o principal informante da Polícia Civil nas investigações que resultaram na prisão dos primeiros suspeitos de terem matado o ex-deputado estadual Mauricio Cotrim.

Leia mais em Radar64 e no Twitter de Gilmar Carvalho

Floro exigiu, em 2003, que magistrada libertasse dois pistoleiros. “Se não soltar, mato um dos seus filhos e entrego a cabeça na bandeja”

Floro Calheiros Barbosa, também conhecido como Ricardo Alagoano, tem uma vida ligada à pistolagem muito conhecida, principalmente em Sergipe e na Bahia.

Preso duas vezes, por duas vezes fugiu, as duas vezes em Sergipe.

Não há ninguém punido!

Principal suspeito de ter encomendado a morte do presidente Regional Eleitoral, desembargador Luiz Mendonça, Floro liderou o grupo que roubo urnas do Fórum de Canindé do São Francisco. Durante a ação desenvolvida na sede do Judiciário no município, pelo menos um dos marginais urinou na gaveta do magistrado. Floro estava no local.

Em sua tajetória contra autoridades do Judiciário sergipano, segundo relatou "Alemão", um de seus mais conhecidos pistoleiros, Floro telefonou para uma magistrada sergipana, e exigiu que ela mandasse libertar dois pistoleiros. Para não deixar dúvida sobre extrema ousadia, Floro deu o seguinte recado à magistrada: “se não soltar, mato um dos seus filhos e entrego a cabeça na bandeja”. Depois de meia hora os dois pistoleiros foram soltos.

TRAJETÓRIA DE CRIMES

São muitos os crimes atribuídos a Floro Calheiros.

No dia 21 de janeiro de 2008, o site baiano Radar 64 publicou matéria, que começou com o relato de sua segunda prisão:

Floro Calheiros, o "Ricardo Alagoano", acusado da morte do ex-deputado Mauricio Cotrim e também de outros homicidios na Bahia, foi preso no final da manhã deste sábado (19), numa de suas propriedades em Gurupi, cidade localizada no sul do Estado de Tocantins, conforme já noticiou o Radar64.

Floro era conhecido na cidade como ‘Doutor Gonçalves e já vinha se consolidado na região de Gurupi como fazendeiro influente no ramo de criação de gado. Os policiais encaminharam Floro Calheiros, inicialmente, para a sede da Polícia Federal em Palmas, onde foi transferido em seguida para Aracaju.

A “caçada” para prisão de Ricardo Alagoano se intensificou após o delegado-chefe da Polícia Civil no Estado da Bahia, João Barbosa Laranjeira ter designado, em 09/11/2007, o delegado André Luiz Serra, para presidir o inquérito policial para investigar o homicídio do ex-deputado estadual Maurício Cotrim Guimarães, 59 anos, assassinado com 5 tiros de arma de fogo, quando o mesmo fazia uma caminhada no final da tarde do dia 14/09/2007, no centro de Itamaraju, cidade localizada no extremo sul do estado.

Após algumas investigações na noite do dia 13/11/2007, foi preso em casa, na cidade de Eunapolis, pela equipe do delegado André Luiz Serra, o pistoleiro Antônio Medeiros, o “Alemão”, 48 anos, que ao prestar depoimento ao delegado confessou sua participação no assassinato de Mauricio Cotrim em companhia de outro pistoleiro conhecido por “Roque”, a mando de Floro Calheiros Barbosa, o “Ricardo Alagoano”.

“Alemão” ainda confessou que assassinou outras pessoas na Bahia a mando de "Ricardo Alagoano", dentre elas: uma mulher e um traficante conhecido por “Toninho”, em Teixeira de Freitas, cinco pessoas de uma mesma família, em Corumbau, no município de Prado, o empresário Djair Eloy, sócio-gerente do grupo “Paratodos”, em Eunápolis, e José Carlos da Silva Moraes, 51 anos, gerente da casa de shows Axé Moi, em Porto Seguro, além de algumas pessoas no estado de Sergipe e Rondônia, todos estes a mando de “Ricardo Alagoano”. "Alemão" confessou também que assassinou o próprio irmão em Almenara/MG.

O pistoleiro “Alemão” ainda disse que o seu parceiro “Roque” foi quem atentou contra a vida do ex-prefeito de Mucuri, Roberto Carlos Figueiredo Costa, “Robertinho”, na noite do dia 23 de abril de 2004, quando o ex-prefeito teve o seu carro alvejado com 12 tiros quando saia de sua casa em Mucurí em companhia de familiares e um amigo. Na ocasião, Robertinho, a babá da sua filha e um amigo, saíram feridos à bala.

Depois de ser preso em Eunapolis "Alemão" foi encaminhado para Polinter, em Salvador, e posteriormente ao Complexo de Operações Policiais Especiais de Aracaju, em Sergipe, para prestar depoimento sobre a participação em assassinatos naquele Estado.

Em Sergipe o “Alemão”, contou, com riqueza de detalhes, perante a juíza Iolanda Guimarães, da 5ª Vara Criminal, e ao promotor de Justiça Augusto César de Resende Leite, alguns assassinatos praticados em Sergipe, a mando de Ricardo Alagoano.

“Alemão” confirmou tudo sobre o crime do ex-deputado estadual de Sergipe Joaldo Barbosa, ocorrido em janeiro de 2003, na residencia do parlamentar, a mando de "Ricardo Alagoano". Confirmou a participação de todos que já foram condenados como executores do crime e disse que a morte de Joaldo se deu por questões políticas e a um empréstimo que não foi pago.

O pistoleiro Alemão também contou que Floro Calheiros assassinou um dos seus seguranças, chamado Josualdo, no quarto de um hotel em Aracaju, onde se encontrava com a namorada. Segundo ele, Josualdo era ligado ao ex-prefeito de Canindé do São Francisco, Genivaldo Galindo e teria perdido a confiança de Floro. A morte fora queima de arquivo.

Segundo ainda Alemão, em seu depoimento, Floro Calheiros mata todos os seus homens de confiança, após trabalhar com ele alguns meses ou anos, “como queima de arquivo”. O motorista Alexandro, que se encontra preso, confirmou esse seu estilo. Alemão disse até onde ele joga os cadáveres: em uma cisterna, numa propriedade que possuía em Teixeira de Freitas.

Alemão também falou sobre a fuga de Floro Calheiros da 3ª Delegacia em Aracaju. Disse que quando ele foi preso, um dos seus “laranjas”, conhecido por Moisés, que residia em Teixeira de Freitas, extremo sul da Bahia, queria vir resgatá-lo, mas não foi necessário. “Ricardo Alagoano” deixou a cadeia três meses depois, pela porta da frente da delegacia e foi levado pelo motorista de nome Silvano, confirmando que ele pagou R$ 300 mil pela fuga, parte dessa quantia em notas falsas.

Após a fuga em 2003, conta “Alemão”, Ricardo Alagoano fez graves ameaças a uma juíza da capital para que ela soltasse dois pistoleiros seus que estavam presos na ocasião para que um dos filhos da magistrada não morresse. De onde estava, “Ricardo Alagoano” ligou para a esposa – Paulina – e pediu que ela ligasse para a magistrada, para exigir que “ela soltasse os matadores”. E, segundo “Alemão”, “Ricardo Alagoano” teria feito a ameaça: “se não soltar, mato um dos seus filhos e entrego a cabeça na bandeja”. Depois de meia hora os dois pistoleiros foram soltos.

Leia mais em Radar64

ALEMÃO FOI ASSASSINADO

Em 2009, "Alemão" foi assassinado, a mando de Floro.

Sobre o assassinato, Radar64 publicou a seguinte matéria no final da noite de 1º de fevereiro de 2009:

O paraibano Antonio Medeiros, 50 anos, foi assassinado neste domingo (1º), com um tiro na nuca, na cidade de Eunápolis. O crime aconteceu por volta das 22:00 horas, na Praça dos Trabalhadores, no bairro Moisés Reis.

’Alemão’ morto com tiro na nuca
(Foto: Hugo Santos)
’Alemão’, como era mais conhecido, foi destaque na imprensa baiana porque foi preso sob a acusação de ser pistoleiro e ter assassinado o ex-deputado e empresário Maurício Cotrim Guimarães, em setembro de 2007, na cidade Itamaraju.

Medeiros morava em Eunápolis, em frente à praça onde morreu e segundo apurou a Polícia Militar, ele se deslocou alguns metros até um telefone público e quando fazia uma ligação para a sua mulher, que está viajando, foi executado a queima roupa.

O delegado Marivaldo Felipe, que fez o levantamento cadavérico, diz que pelas informações colhidas até o momento a morte de ’Alemão’, a princípio, não tem perfil de ter sido a mando de alguém.

Marivaldo já ouviu uma testemunha, que afirmou que ’Alemão’, que estava bêbado, teve um desentendimento, horas antes, com uma pessoa ainda não identificada, em uma lan house e que teria prometido matá-la.

’A pessoa ameaçada foi alertada que Antonio Medeiros era perigoso e deve ter resolvido matá-lo primeiro, até porque logo após a discussão, em vez de ir pra casa, ele ficou com o caminhão rodando na praça, intimidando o desafeto’, acrescenta.

Para o delegado, o pistoleiro que vem para matar normalmente dá mais de um tiro, para a vítima não ter chance de sobreviver.

Filho diz que foi queima de arquivo
(Foto: Hugo Santos)
O filho de ’Alemão’, Leandro Medeiros, 35, afirmou no local do crime, ao portal RADAR64, que foi queima de arquivo ou vingança, já que ’Alemão’ era acusado de uma série de crimes, mas que sempre foi inocente.

’Alemão’, que ficou sete meses preso, parte deles na sede da Polícia Civil, em Salvador, chegou a confessar que a morte de Cotrim foi encomendada por Floro Calheiros, o Ricardo Alagoano, com quem o ex-deputado teria contraído uma dívida de campanha política. Floro fugiu da prisão em dezembro passado, de forma espetacular.

Na ocasião, ele também admitiu participação nas mortes do bicheiro Djair Eloy, em Eunápolis, e do gerente do Axé Moi, José Carlos da Silva Moraes, em Porto Seguro, mas não apontou os mandantes.

Após ser solto por falta de provas, em junho do ano passado, ‘Alemão’ garantiu que confessou os crimes porque sofreu torturas na prisão e prometeu entrar com processo contra o Estado da Bahia, pedindo indenização, já que sua imagem ficou comprometida e não conseguiria mais arranjar emprego.

’Alemão’ foi libertado depois de a polícia concluir que foram três irmãos ciganos que contrataram pistoleiros para realizar o crime.

ESTÁCIO GOMES - Coincidendencia ou não, em 18 de novembro do ano passado, o empresário Estácio Silva Gomes, 53 anos, foi morto em companhia de seu filho, o estudante de Direito João Paulo Gomes Silva, 26, no centro de Teixeira de Freitas.

Estácio foi o principal informante da Polícia Civil nas investigações que resultaram na prisão dos primeiros suspeitos de terem matado o ex-deputado estadual Mauricio Cotrim.

Leia mais em Radar64 e no Twitter de Gilmar Carvalho

JOÃO QUER GANHAR ELEIÇÃO SEM CACIQUES

“Vamos ganhar esta eleição com o povo, sem caciques políticos, sem dinheiro, mas com o calor popular que senti no Mercado Central”, foi assim que o candidato ao Governo de Sergipe, João Alves avaliou a visita que fez aos feirantes, acompanhado dos candidatos da coligação “Em Nome do Povo”. João se entusiasmou com o corpo a corpo e vibrou com a alegria do povo. “Estou feliz porque esta é a maior campanha de apelo popular da minha vida. O povo de Aracaju sabe o que é melhor para a capital e os feirantes demonstraram esse carinho e confiança por mim”.



João foi abraçado pelo povo e ouviu repetidamente os feirantes gritando: “É João do povo é João de Deus. Nós queremos o Negão. Esse corpo a corpo foi extraordinário, percebo que os sergipanos estão cansados desse desgoverno. São os eleitores que estão me convocando para administrar o Estado a partir de primeiro de janeiro. No dia 3 de outubro, o povo vai dar uma resposta nas urnas a esse governo que abandonou a saúde, a educação e a segurança pública” disse o candidato.



A aceitação da nossa candidatura reflete o espírito de entusiasmo dos eleitores, exaltou o candidato ao Governo. “O que presenciei no mercado estimula ainda mais a nossa caminhada. A cada dia a nossa campanha se intensifica e vai envolvendo as camadas populares. A campanha se amplia na capital e no interior, e perfeita sintonia, porque o povo cansou de ser iludido pelo discurso e que ver ação, assinalou João.



Ele explicou porque sua campanha está empolgante e o seu nome caiu nas graças do povo. “No contato que faço apertando a mão dos sergipanos, conversando olho no olho com os eleitores, percebo que os sergipanos estão frustrados com o Governo atual. “As mudanças não foram executadas e o povo agora quer o João da ponte, o João da Água, o João da Agricultura, o João da habitação.



POVO X CACIQUES - Para João a diferença da sua campanha, em relação à do adversário, é que o atual governador faz campanha com caciques políticos, faz reunião com a cúpula, se valendo do dinheiro e do poder. Já a minha campanha eu conto com Deus e com o povo. Vocês observaram no mercado que caminhei à vontade, reencontrei velhos amigos, dei boas gargalhadas e as pessoas sentiram de perto que João tem cheiro de povo.



O que foi dito pelo candidato João Alves foi confirmado com os depoimentos espontâneos de gente simples, feirantes, consumidores e trabalhadores do mercado. O aposentado João dos Santos se aproximou do candidato e disse: Sou seu xará e também sou negão. Eu voto no senhor, juntamente com minha família.



Valda Santos, que mora em Porto Grande, Nossa Senhora do Socorro também foi enfática: “João é o melhor pra Sergipe. Lá em casa todo mundo vota no Negão”. Já o comerciante Pedro André Santos, do Parque dos Faróis, pediu que João voltasse a governar o Estado. “O trabalho dele deve ser reconhecido pelo povo e é nossa vontade elegê-lo governador”, justificou .



Uma cena marcante durante a visita no mercado fez João relembrar um dos mais importantes projetos de seu governo voltado para desenvolvimento de Sergipe que beneficiou o homem do campo. O projeto Chapéu de Couro. João caminhava abraçado por eleitores quando o feirante Messias de Oliveira, da cidade de Itabaiana, tirou o chapéu de couro que usava e colocou na cabeça de João. Os dois posaram para foto e Messias sentenciou: “Essa eleição ninguém tira do senhor”.



No final do corpo a corpo João fez um pausa para tomar água de coco na barraca de Vaneide Lima dos Santos e conversar com um grupo de feirantes do interior. Ao deixar o mercado, o candidato da coligação “Em Nome do Povo” concluiu sobre o compromisso de campanha: “Esta é uma campanha enriquecedora, devido o apoio do povo. É assim que vamos ganhar essa eleição”.

(Da assessoria do candidato)

"Educação profissional: passaporte para um futuro de sucesso”

É com muita alegria que o CFQPA - Centro de Formação e Qualificação Profissional Alternativo informa que em 2008 proporcionou a 6.500 pessoas a oportunidade de qualificação profissional e de ouvirem a palavra de Deus em centenas de templos que se tornaram salas de aula. O CFQPA e seus parceiros levaram através de ações sócias e educacionais aos mais necessitados a esperança da conquista no mercado de trabalho a oportunidade do emprego tão sonhado.

Em 2009 contamos com suas orações para alcançarmos mais um ano de sucesso.

CURSOS OFERECIDOS E EMPREGOS CONSEGUIDOS:

Básico de Saúde e Segurança no Trabalho:

500 pessoas - 25 conseguiram emprego.

Agente Administrativo:

2.000 pessoas - 170 conseguiram emprego.

Atendente:

1.000 pessoas – 303 conseguiram emprego.

Recepcionista:

1.000 pessoas – 252 conseguiram emprego

Operador em Telemarketing:

1.000 pessoas – 452 conseguiram emprego

Relações Humanas e Marketing Pessoal:

1.000 pessoas - 430 foram aprovadas em entrevista de emprego

Fique com Deus,



Pastor Wellington Santos

Visite nosso site: www.cfqpa.110mb.com / cfqpa-se@hotmail.com

Campeonato Sergipano da Divisão A2 ocorre em outubro



Nos próximos dias a FSF divulgará detalhes finais da competição, inclusive com o número definitivo de participantes

22/08/2010 - 19:20

Federação define detalhes para Divisão A2
A Federação Sergipana de Futebol (FSF) se prepara para promover, a partir do mês de outubro a Divisão A2 do Futebol Sergipano, que este ano deve contar com a participação de 14 equipes. Nos próximos dias, a entidade deve divulgar a tabela e o regulamento da competição. A novidade deste ano é que a Divisão A2 terá limitação de idade dos atletas participantes.

Segundo o presidente Carivaldo Souza, os clubes solicitaram e a FSF concordou que cada equipe terá o direito de inscrever apenas sete atletas com idade superior a 23 anos. Na próxima semana, a FSF divulgará detalhes finais da competição, inclusive com o número definitivo de participantes.

A exemplo de anos anteriores, a Divisão A2 contará com a ajuda do governo do estado, através de convênio de o patrocínio firmado com o Banese, que destinará a importância de R$ 120 mil para o pagamento de despesas como transporte e arbitragem.

Repasse

Carivaldo Souza disse ainda que, conforme convênio firmado no inicio da temporada, cada um dos clubes representantes do futebol sergipano no Brasileiro da Série D terá direito a R$ 100 mil. Para a Copa Governo do Estado também foram destinados R$ 100 mil. Quando houver o repasse, os recursos serão rateados entre São Domingos, Confiança, América e River Plate.

Desses valores, apenas a parte correspondente ao Campeonato de profissionais foi recebido pela FSF e já repassado aos clubes. Os demais convênios, por determinação legal, só terão valores liberados a partir do mês de outubro, depois período eleitoral.

Com informações da Seel

Eduardo Amorim recebe o apoio da família Ribeiro em Lagarto





No último sábado, 21, a candidata a deputada estadual Luiza Ribeiro, organizou um café da manhã com lideranças para pedir e mostrar seu apoio ao candidato ao Senado Eduardo Amorim.

Ele em seu primeiro mandato de deputado federal surpreendeu com o trabalho desenvolvido em prol dos municípios sergipanos. Eduardo Amorim não ajudou somente aos municípios em que seus respectivos prefeitos votaram nele ou ajudaram na última eleição. Como ele sempre diz e confirmou com suas Emendas, o povo é que tem que ser beneficiado, independente de cor partidária, explicou Luiza Ribeiro acrescentando que esse foi mais um dos motivos em que ela e sua família resolveram apoiar a candidatura de Eduardo ao Senado.

Eduardo Amorim agradeceu o apoio e reafirmou que jamais vai fazer vingança política, ajudando somente aos municípios em que foi apoiado. A população não tem culpa e merece respeito. Ela não tem que pagar pelos acordos políticos. Por isso, ajudamos e vou continuar ajudando ao povo que acreditou em meu trabalho e merece recebe os benefícios, como emendas liberadas para construção de praças, pavimentação de ruas, além da patrol, que beneficiou diversos povoados em todo Estado. Se fizemos na Câmara, no Senado podemos fazer muito mais, esclareceu Eduardo Amorim.

Elenildes Mesquita

Assessoria de Comunicação do deputado Eduardo Amorim

domingo, agosto 22, 2010

DESIDRATADO, DÉDA TEM GASTROENTERITE E SUSPENDE CAMPANHA NESTE DOMINGO




Exclusivo da
Redação do
Faxaju Online

O governador Marcelo Déda, candidato à reeleição pelo PT, não participou de atos de campanha que aconteceram, neste domingo (22), em Nossa Senhora da Glória e Propriá, porque teve recomendação médica para ficar em repouso. Déda se encontra em casa, tomando água de coco para hidratação.

Em seu twitter, o governador Marcelo Déda diz que “estou no estaleiro” e explica que no sábado, depois da carreata no município de Pedrinhas, sofreu com uma gastrite que evoluiu para desidratação.

Marcelo Déda retornou a Aracaju quando já tinha iniciado movimento de campanha na cidade de Boquim. Foi atendido pelo médico Antônio Alves Júnior, que diagnosticou a desidratação e receitou soro via oral. Recomendou que o governador Marcelo Déda cancelasse as atividades deste domingo.

De Boquim – A redação do Faxaju Online recebeu telefonema de um líder sindical de Boquim, na manhã deste domingo (22), informando que o governador Marcelo Déda havia se sentido mal ao chegar na cidade e cancelou os compromissos que estavam marcados para o sábado no município.

Haveria uma carreata pelas ruas de Boquim, inauguração do comitê de campanha dos candidatos apoiados pelo prefeito Pedro Barbosa e terminaria na praça da estação, que teria sua reforma inaugurada e haveria um discurso.

Em frente à agência do Banco do Brasil, com o trio elétrico em silêncio, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), candidato à reeleição, fez um rápido discurso. Em seguida, o deputado federal Jackson Barreto (PMDB), candidato a vice-governador, também disse algumas palavras e encerrou o ato em Boquim.

Apesar do apelo do prefeito Pedro Barbosa para a inauguração da reforma da praça da Estação, não foi possível em razão do problema que ocorreu com o governador Marcelo Déda.

Explica – Em casa, por telefone, o governador Marcelo Déda explicou ao Faxaju Online, que sentiu náuseas e uma espécie de cólica, já quando estava em Pedrinhas e ao chegar em Boquim foi em casa do prefeito Pedro Barbosa e pediu para ir ao banheiro.

Lá teve ânsias de vômito e em seguida telefonou para a primeira dama, Eliane Aquino, que sugeriu o seu retorno rápido para casa. O governador obedeceu e ao chegar em seu apartamento já encontrou o médico Antônio Alves Júnior, que o examinou e constatou uma gastroenterite, provocada por desidratação.

Antônio Júnior pediu que Marcelo Déda suspendesse as suas atividades neste domingo (23) e lhe receitou Pedialyte, um soro oral, e um medicamento para ânsia de vômitos. O médico aconselhou que o governador viajasse sempre acompanhado de uma pessoa que lhe servisse água e o energético Gatorade, um repositor hidroeletrolítico, para evitar um novo quadro de desidratação.

Nesta segunda-feira (24), Marcelo Déda vai fazer gravações para seu programa eleitoral e dar expediente no Palácio dos Despachos. Vai continuar a sua campanha normalmente, sem problemas, conforme liberou o seu médico.

VOCÊ NO MAPA