Páginas

terça-feira, setembro 07, 2010

Jeferson Andrade/Entrevista da Semana


“Não gosto de ver o sertanejo mendigar”



A decisão tomada pelo presidente da Assembléia Legislativa, deputado estadual Ulices Andrade (PDT), de integrar o Tribunal de Contas como conselheiro, abriu espaço para um sucessor na própria família. O grupo que apóia Ulices Andrade apontou para a direção de Jeferson Andrade na hora de escolher o nome que herdará o espólio eleitoral do presidente da Alese. O jovem de 29 anos que está concluindo o curso de Administração de Empresas planeja lançar seu nome na convenção partidária com um elenco de projetos voltados para o sertão, região onde tem atuação política e onde mora. “Sou um homem do interior. Estudo na capital, mas sempre vivi em Nossa Senhora de Lourdes”, explica Jeferson, que destaca as ações do governador Marcelo Déda em favor do sertão sergipano. Ele acredita que pode contribuir para melhorar ainda mais a região. “O sertão e o agreste de Sergipe precisam de programas que estimulem o surgimento de emprego e renda. Não gosto de ver o sertanejo mendigar”.



- Você se tornou um dos mais fortes candidatos do PDT a uma vaga na Assembleia. Como surgiu esse projeto político?

JEFERSON ANDRADE - Na verdade, eu convivo há alguns anos com a política, mesmo sem mandato. Acompanho meu pai (Ulices Andrade) e seu grupo em todas as atividades, especialmente no interior. Com a decisão dele em ingressar no Tribunal de Contas, surgiu a oportunidade. O grupo passou a sondar meu nome para uma vaga na Assembleia Legislativa. Foi uma decisão natural, eu já esperava.



– Quando veio o convite, tomou um susto? Você é um jovem que ainda não foi 'batizado' com outros cargos...

JA – Não, não me assustei com a proposta porque já esperava por esse convite. A política, como eu disse, não é novidade para mim. Sempre acompanhei meu pai e tenho fortes relações com o sertão. Moro em Nossa Senhora de Lourdes. Ando muito na capital, onde tenho amigos, onde concluo o curso superior de Administração de Empresas, mas sempre dei preferência pelo interior.



– O fato de vir de uma família repleta de políticos facilita o seu projeto?

JA – De fato, facilita. Sempre tive influência de políticos importantes, como meu avô e a minha avó, que foram prefeitos de Nossa Senhora de Lourdes. A política sempre me interessou, está no sangue da família. Por exemplo, meu tio Orlando (pai do prefeito de Canindé do São Francisco, Orlando Andrade, o Orlandinho), que foi prefeito de Nossa Senhora de Lourdes e vice-prefeito de Canindé. Tem ainda meu tio Reginaldo, prefeito de Canhoba, outro nome que me influenciou a tomar essa decisão. Muitos membros da família estão na política, tios e primos que foram candidatos a prefeito e a vereador. A minha família sempre teve a vocação para a política. E por fim, meu pai, para mim, um exemplo de político decente, de homem correto.



– O fato de seu pai ter sido eleito deputado cinco vezes consecutivas o torna confiante nessa disputa?

JA – Sim. A maior influência, o maior estímulo, vem dele, um político vitorioso. Sem o apoio de Ulices Andrade e do grupo dele eu jamais tentaria uma vaga na Assembleia. Minha candidatura e meu projeto político só se tornaram possíveis com o apoio do meu pai. Ele é um político muito respeitado em Sergipe, goza de grande prestígio no interior.



– É um nome que abre portas...

JA – Exato. Não tenho problema em afirmar que se trata de um político que o povo respeita e que não engana ninguém. É o exemplo que sigo.



– Tem receio de receber críticas por causa da sucessão familiar?

JA – Não, de forma alguma. Ele vai para o Tribunal de Contas e o meu nome foi cogitado. Foi uma decisão natural. O grupo não pensou em outro nome. Sucedê-lo é uma coisa natural.



– Sua base eleitoral é o sertão. Como pretende ajudar essa região com seu mandato?

JA – O sertão precisa de infra-estrutura. Muita coisa está sendo feita por aqui no governo Marcelo Déda, mas a região tem problemas históricos, que nunca foram atacados. Veja, por exemplo, o problema da segurança. Precisa de mais investimentos do que já foram feitos. O sertanejo precisa de uma política permanente de geração de empregos. Não gosto de ver o sertanejo mendigar. O governo implantou a 'Rota do Sertão', obra fundamental para a economia do lugar, mas precisamos de programas que ajudem o sertanejo a garantir seu sustento sem assistencialismo. O governo Marcelo Déda atende a pleitos bem antigos, mas ainda há muito o que fazer e espero ajudar o governador no seu segundo mandato.



– O governo Déda o agrada? Como você avalia a gestão do petista?

JA – Agrada sim, e agrada aos sertanejos. Déda mudou a cara da política. Seu governo trouxe investimentos importantes nas polícias Civil e Militar, com o ajuste salarial. Garantiu a conquista do piso aos professores. As obras de Déda são importantes, como a construção de pontes em regiões esquecidas por governos anteriores, como a construção de clínicas da Saúde. Mas Sergipe precisa de mais obras de infra-estrutura, precisa de mais quatro anos desse governo para que possamos ver grandes projetos em execução.

4 comentários:

Anônimo disse...

nunca vi esse cara aqui em lourdes, igual ao seu pai, só aparece aqui quando tem interesse só em 4 e 4 anos, nunca fez um beneficio para lourdes, com 5 mandatos sem perder nenhuma, num lembro dele ter feito nenhum beneficio para a cidade, o que fez foi a reforma da antiga funfec atual asap açao social anna paula, unico lugar onde tem uma quadra esportiva, que para as crianças jogarem tem que pagarem, isso é uma vergonha, seu menino jeferson vc vai ser igual ao tem pai, pq filho de politico ja ta no sangue e ser acomodado como ele vc ja eh, ....

Bertilene disse...

Acredito no mandato de Jeferson Andrade, como um mandato do povo. Votei nele pelo histórico de honestidade e fidelidade da sua família (política) e seus eleitores. Agora que já está na Assembléia, venho pedir que a partir de 1º de janeiro lute para que na 3ª etapa da implantação dos IFs (Institutos Federais) em nosso estado, a cidade de Propriá seja contemplada. Essa iniciativa é de suma importância para os jovens das cidades de Propriá, N.S. de Lourdes, Gararu, Canhoba, Amparo, Telha e demais cidades circunvizinhas.
Parabéns Jeferson pela 1ª vitória de muitas que virão!
Profª Bertilene Santana

Anônimo disse...

Sou do Povoado Ilha do Ouro em Porto da Folha/SE, e Jeferson Andrade vai ser um grande politico que nem o pai, sempre votei com o pai dele, votei nele agora nessa ultima eleição e tenho certeza que vou continuar votando porque eu acredito nele e o povo do sertão sergipano só tem a ganhar.

Anônimo disse...

Mais um para mamar na vaca, quem não quer? o pai se deu foi bem bem na hora do sufoco financeiro... o raça mentirosa é político, infelizmente ainda conseguem iludir os sertanejos...

VOCÊ NO MAPA