Páginas

sexta-feira, abril 22, 2011

Vereadores repudiam ação do Delegado Cledson Ferreira de Canindé.



Ao fazer uso da tribuna na ultima sessão (19-04), o vereador Joselildo Almeida (Pank) falou da Moção de Repudio de sua autoria ao Delegado de Policia, Dr. Cledson Ferreira do município de Canindé, pelo mau atendimento a população canindeense, bem como Poder Legislativo. “As atitudes do delegado Cledson Ferreira refletem estar o mesmo despreparado para as funções de quem tem, por dever de oficio, obrigação de respeitar e fazer respeitar as leis e perante a sociedade, e, principalmente, ter uma conduta exemplar de cidadania e civismo”. Comentou o vereador. Pank acredita que o prefeito não sabe do que está ocorrendo e pede a união dos poderes nesse momento difícil que passa a segurança em Canindé. “É lamentável a maneira como o delegado tratou os vereadores, muito mal educado e visivelmente despreparado. Ele fala como se a delegacia fosse dele e os policiais. Eu pergunto: se um vereador é tratado dessa maneira, imagine o povo como não é.... “. Relata Pank.
O presidente da câmara de Canindé prometeu expedir copias da Moção de Repudio contra o delegado e os protestos para todos os órgãos da imprensa assim como também aos órgãos governamentais.






Vereador Juarez reafirma “temos que levar ao Ministério Publico”.
Indignado o vereador Juarez denunciou a falta de segurança no comércio e questionou o efetivo policial do município. Ele assinou a nota de repudio contra o delegado Cledson Ferreira. “Os canindeenses estão a mercê da bandidagem, são inúmeras reclamações dos proprietários de lojas , onde não se ver uma ronda policial e nem se quer um ladrão preso. As drogas se proliferam na região “. Lamenta Juarez.

Vereador Antônio Soares “algo precisa ser feito”.
Proprietário de uma loja de material de construção, o vereador Soares sentiu na pele a falta de segurança em Canindé, onde reina a bandidagem amedrontando os cidadãos de bem. Solidário a Moção contra o delegado, o vereador Soares exige que algo seja feito e afirma que Canindé não pode voltar às paginais policiais. “Onde já se viu um município em ascensão vivendo um dos melhores momentos de sua historia, tendo que se render a bandidagem”. Reclama Soares.


“O cidadão de bem é tratado como se fosse bandido pelo delegado”


Tenho certeza que o prefeito de Canindé não compactua com essas atitudes arbitrarias desse delegado, indignado falava o vereador Adriano na tribuna da Câmara. Bastante atento as suas palavras à população presente a sessão balançava a cabeça em sinal de desaprovação ao delegado Cledson Ferreira em relação as suas atitudes e ações contra os vereadores.
Segundo Adriano se o delegado trata dessa forma os parlamentares imaginem aqueles que não podem se defender. Alertou o vereador para a falta de segurança nos povoados Capim Grosso e Curituba e reafirmou que o prefeito não sabe dessa situação de tratamento que o delegado dispensar aos parlamentares.

Vereador Edmilson da Agrovila denuncia falta de delegado em Canindé.


Em Canindé se um cidadão precisar fazer um boletim de ocorrência tem que se deslocar à cidade de Gloria. Quem denuncia a falta de legado é o vereador Edmilson usando a tribuna. Segundo o vereador a partir de quinta-feira ate domingo a cidade fica sem delegado. Edmilson reclama do aumento do vandalismo no bairro Agrovila e na Portelinha e pede que seja feito ronda constante na região. “Outra situação denunciada pelo vereador é os constante arrombamento aos pontos comerciais. “Ate quando vamos assistir esses vândalos atuar em nossa cidade”. Ressalta Edmilson.

Segundo o vereador Luciano, o delegado de Canindé é de gabinete.


“Parece que voltamos à ditadura e a revolução em nosso município”. Lamentava o vereador Luciano na tribuna no ultimo dia 19 desse mês. Luciano ficou indignado com o tratamento dispensado aos vereadores e disse: “bandido é bandido e homem de bem é homem de bem”. Luciano lembrou que vários crimes em Canindé até hoje não foi lucidado e que o delegado é de gabinete. A atitude do delegado lembrou a ditadura militar e a revolução no Brasil e que Canindé estar mal representado com o delegado atual. Luciano assinou a Moção de Repudio e solicitou que todos os órgãos do Estado de Sergipe e a imprensa sejam informados do acontecido em Canindé.
Linduarte repudiou o acontecido e afirmou que quando alguém toca num canindeense é a mesma coisa que tocar nele.

foto: revistacaninde.blogspot.com

Um comentário:

Ligia disse...

Delegado Cledson, parabéns por conseguir fazer o seu trabalho sem a interferência de qualquer político. O problema é que os vereadores de Canindé não sabem sequer qual a sua função, a não ser pousar de “otoridades”. Seriam muito querer que eles soubessem quais são as atribuições do demais poderes. Lamentável para o povo de Canindé que os escolheu. Legislar para o povo,não em causa própria, senhores vereadores. Sabem o que é isso? Lúcia Cardoso

VOCÊ NO MAPA